ISOLAMENTO HORIZONTAL VS ISOLAMENTO VERTICAL – EFEITO LOCK DOWN PARA AS EMPRESAS

ISOLAMENTO HORIZONTAL VS ISOLAMENTO VERTICAL – EFEITO LOCK DOWN PARA AS EMPRESAS

Estamos em um impasse, diante nossa atual situação, muitas pessoas estão defendendo a paralisação horizontal.

A paralisação horizontal é aquela que grande parte das cidades têm adotado.

Onde as empresas trabalham de casa e trabalham efetivamente em seus postos apenas os serviços essenciais.

Do outro lado nós temos aqueles que defendem a paralisação vertical.

Na paralisação vertical a maior parte das empresas acaba funcionando, os segmentos fluem e as pessoas dos grupos de risco ficam protegidas.

Qual melhor opção?

Para falar a verdade, não existe melhor opção, na minha concepção, em todas nós temos riscos.

Temos o risco de voltar a trabalhar e essa curva de crescimento do vírus acabar aumentando significativamente, com isso um grande número de pessoas vai morrer, causando um colapso em toda área médica, os hospitais não terão capacidade para atender, tudo pode ser muito desastroso sob esse ponto de vista.

imagem que represente família unida
Além de tudo isso, temos a preocupação com a nossa própria vida, com a vida dos nossos familiares, tudo é muito difícil

No isolamento horizontal, vemos a economia parada ou com a movimentação muito pequena, isso gera uma incapacidade do próprio governo, ele entra em colapso e não atende completamente as necessidades das Pequenas Empresas, não há crédito para todos.

E mesmo atendendo as necessidades de parte das Pequenas Empresas, as MEI’s não estão sendo socorridas, elas não têm acesso a crédito e a postergação de pagamentos.

Ainda não sabemos quanto tempo vai durar todo esse momento.

Por isso, não sabemos se as empresas terão condições, no futuro, de pagar esses créditos que estão sendo gerados. Empresas que durante anos conseguiram se estabilizar em relação ao seu caixa, agora estão vendo esse caixa evaporar.

Aproximação com nossos clientes

A intenção não é discutir qual paralisação causa menos danos, horizontal ou vertical, eu não tenho capacidade nenhuma, pois não é minha função.

O meu foco é levar informação e tentar chegar de fato a uma solução mais efetiva para as pequenas empresas.

A cada dia que passa, e as pequenas empresas não podem operar, aumenta o dano em relação à atividade dessas empresas.

Desde que foi decretado a quarentena, já temos danos de empresas que fecharam e temos um número grande de demissões.

E eu posso dizer isso porque acompanhamos os números dos nossos clientes, conseguimos ver o impacto financeiro nos nossos clientes e qual Impacto existe também sobre a mão de obra.As empresas de contabilidade, de modo geral, estão trabalhando em prol dessa situação toda. Todos estão preocupados com os contratos de trabalho que estão ameaçados quando as empresas não conseguem produzir.

Medida Provisória MP 927

Como um paliativo, para evitar a suspensão dos contratos de trabalho, nós temos essa medida que foi lançada pelo o governo de suporte para folha de pagamento.

Mas a medida não atende todas as necessidades das empresas com folha de pagamento.

Primeiro, porque a MP atende até um limite de salário, ela contempla 2 salários mínimos por colaborador.

E sabemos que existem empresas com salários muito maiores, e essas terão que arcar com a diferença. Diminuir o salário de uma pessoa pela metade ou em ⅓ não faz o menor sentido.

E não podemos esquecer que a quantidade de crédito disponível não atende a totalidade das empresas.

Uma parcela considerável das empresas, ou até a maior parte delas, vai ficar de fora desse acesso ao crédito.

Mesmo as que vão ter acesso ao crédito, lá na frente, vão começar a pagar por tudo isso.

A situação em 2020 e 2021, nas pequenas empresas, não é uma situação muito confortável.

Infelizmente a realidade é que milhares de empresas que vão quebrar no Brasil.

 A solução para o problema principal

No momento, temos que pensar sob ponto de vista interno, pois, dentro da nossa empresa é possível ter controle.

E olhando para o nosso negócio, o que nós temos que pensar é que você precisa alongar o seu caixa, o mais rápido possível, precisa fazer com seu caixa tenha mais tempo de vida.

E isso significa ter uma retenção de custos significativa, independentemente se o seu negócio estiver funcionando, como é o caso do nosso negócio que está operando em home office.

As empresas que podem operar em home office, estão operando, mas elas também estão sendo prejudicadas.

Já que estamos operando, precisamos fazer com que o caixa perdure por mais tempo.

imagem que represente pessoas fazendo chamada de vídeo
Tudo isso é essencial para que possamos ter uma retomada das atividades, mesmo que seja uma retomada parcial de economia, só assim vamos conseguir novamente gerar receita

O problema principal é a falta de geração de receita.

A falta de geração de receita, atrelada a custos fixos altos dentro das empresas, vão fazer com que essas empresas não sobrevivam a toda cadeia econômica.

Essas pessoas serão diretamente afetadas pelo fato das empresas não sobrevivem.Então, neste momento, a recomendação é a contenção de receita e pensar em possibilidades e alternativas.

O que podemos levar como aprendizado

Toda crise traz para nós aprendizados, depois dessa crise tenho plena certeza de que teremos os maiores aprendizados da história do empreendedorismo.  

Só que, neste momento, nós temos que aprender algumas coisas de forma muito rápida.

Essas coisas que temos que aprender implicam em mudanças muito significativas e muito rápidas na nossa empresa.

Além disso, é preciso repensar também aspectos relativos ao próprio mercado de atuação e a forma como nós atuamos no mercado, tipos de canais de aquisição de clientes de vendas e como é que isso funciona na prática.

Na prática, se você tiver uma loja que atuava estava apenas dentro do shopping, no momento você tem um grande problema.

Muitos empreendedores também estavam nessa situação e estão iniciando um processo de venda online, para fazer as entregas, vendendo através de WhatsApp. E ainda que não esteja estruturada nesse momento, essas ações minimizam os impactos.

Se esse empreendedor faz uma redução de custos, negociações com o shopping e consegue diminuir grandemente os seus custos, ele tem pelo menos uma fonte de receita. Mesmo que essa renda não seja, nem perto do que ele faturava, é suficiente pelo menos para manter os custos que não puderam ser retirados e conseguir a postergação de outras coisas.

imagem de empreendedor com olhar estratégico, pensativo
Se o empreendedor pensar estrategicamente e se adaptar, ele vai conseguir sobreviver. Nesse momento o foco principal é sobreviver

Nós precisamos salvar a vida das empresas nesse momento.

Não há muito o que fazer, não temos poder de decisão para determinar uma paralisação horizontal ou vertical.

Grandes empresários estão defendendo, obviamente, a paralisação vertical. Eles querem fazer com que as empresas possam operar o mais rápido possível.

Diante a paralisação horizontal, os danos na economia realmente são impensáveis.

Não dá para comparar a nossa economia com a economia americana, ou com outros países que são mais desenvolvidos que o Brasil.

A nossa economia já vinha atuando com fragilidade.

É comum que as empresas não tenham uma gestão efetiva, não façam controles financeiros, muito menos reservas de caixa, ninguém estava preparado.

Se nós soubéssemos há um ano que passaríamos uma situação dessa magnitude, obviamente, as empresas teriam tomado outras ações.

Eu vi empreendedores desesperados porque tinham acabado de fazer investimentos.

Vivenciamos algo nunca visto antes em toda economia global, em todas as empresas do mundo, sobretudo no Brasil em todos os aspectos.

Pode ser que a letalidade desse vírus não seja tão grande assim, claro que a capacidade de contaminação é gigantesca, mas a letalidade pode não ser tão grande assim quando comparada a outras situações.Mas a letalidade desse vírus para as empresas, será algo inimaginável.

É hora do plano de ação

Devemos focar no que pode ser feito e no que de fato que está sob nosso controle.

Todos torcemos para que esse momento passe o mais rápido possível para não aumentarmos ainda mais os impactos negativos.

Depois que as coisas, de certa forma voltarem ao normal, nós empreendedores contábeis e profissionais da contabilidade teremos uma força-tarefa ainda maior para ajudar os nossos clientes.

 Então, confie no seu contador!

imagem que represente contador e cliente, pode ser os dois ligando um para o outro
O contador, neste momento, é o profissional que está preparado para ajudar as empresas. Esse profissional tem de acesso à informação, pegue informações com ele

Esse profissional tem de acesso à informação, pegue informações com ele.

Afinal de contas, você já paga para o seu contador, e a informação já está com ele.

O contador tem se capacitado cada vez mais para atuar muito mais o processo consultivo, ele pode ajudar na gestão da sua pequena empresa.Isso vai ser preponderante nesse momento de recuperação com a crise que vamos vivenciar.

Conte com a Tactus

Eu torço para que o seu negócio supere essa fase, para que possamos juntos reconstruir tudo e para que daqui 1 ano ou 2 anos nós estejamos como a situação mais estabilizada.

Eu sinto muito pelas pessoas que estão perdendo seus empregos e eu tenho certeza de que, se nós reativamos a economia, posteriormente essas pessoas vão ter a possibilidade de voltar a trabalhar.

Os danos sob todos os pontos de vista são impensáveis.

O grande segredo é como vamos minimizar os danos dos dois lados.

Esse é o grande segredo, que as autoridades precisam realmente chegar num consenso para ajudar todas as empresas e todas as pessoas de um modo geral.

Essas são apenas algumas recomendações para você que tem um negócio e está desesperado ao ver a sua empresa com sérios problemas. Conte com a Tactus para orientações: comercial@tactus.com.br ou (11) 9 9632-2729.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *