NÔMADES DIGITAIS E VIAGEM PELO MUNDO

Conheça a jornada da nômade digital que viaja pelo Mundo trabalhando na internet e com foco em viagens de baixo custo.

Hoje você vai conhecer um pouco da história de Gisele Rodrigues que tinha o sonho de viajar pelo mundo e conseguiu! Mas, antes, teve muitas coisas que poderiam ter feito que ela desistisse, mas ainda sim, seguiu forte atrás dos seus objetivos.

A decisão de ser um nômade digital

Gisele, apaixonada por viagens, uniu as suas maiores paixões: viagens e jornalismo. Hoje ela tem 35 anos e viaja com sua mochila carinhosamente apelidada de “guapa”.

A Gisele era uma pessoa consumista e se deparou com essa nova necessidade da sua realidade minimalista.

imagem que represente mulher viajando pelo mundo
Sua forma de viver e consumir passou a ser transformada quando se tornou uma nômade digital

O estilo minimalista proporciona praticidade, levando consigo apenas o que a mochila lhe permite carregar, sendo agora menos consumista e mais minimalista.

Recentemente, ela estava na Espanha fazendo um mestrado em jornalismo de viagens e acabou viajando para países vizinhos, pois a Europa proporciona essa praticidade do deslocamento e do custo barato, e muitas das vezes mais barato do que viajar pelo Brasil.

No blog Mundo para Viver, onde compartilha suas experiências e vivências, que começou com o propósito de sair viajando pelo mundo contando suas experiências de viagem através de seu ponto de vista, suas vivências pessoais.

O estilo de vida nômade digital

Fala também das conexões que muitas vezes se dão através de um assunto em comum, ou uma experiência compartilhada. Foi assim que conheceu o Anderson.

Gisele sempre sonhou em fazer um intercâmbio na adolescência e finalmente teve oportunidade, já adulta.

Profissionalmente realizada, trabalhando há 4 anos na Record TV como produtora de reportagens especiais, fazia documentário de viagens.

Com 29 anos foi para Malta e pode perceber na pele os efeitos de uma “depressão profunda” desencadeada depois que voltou do intercâmbio, ela não via mais sentido em fazer o que antes ela amava fazer.

Foi isso que despertou essa vontade de morar fora do país, uma colega de trabalho de Gisele em 2016 sugeriu que ela pesquisasse morar na Espanha, sabendo que ela tinha o sonho de morar na praia.

Como ela não tinha condições de tirar um ano sabático, procurava um lugar fixo para assim poder ir se deslocando e conhecendo outros países. 

“Em sentido literal, “sabático” é um período em que algo ou alguém não cumpre suas atividades laborais corriqueiras e descansa para recuperar energias.”

Fonte: https://www.worldpackers.com/pt-BR/articles/o-que-e-um-ano-sabatico acessado em 11/08 às 15h57.

Começou a se programar financeiramente e se inscreveu num curso de pós-graduação e em julho de 2017 pediu demissão.

O chefe de Gisele achou uma loucura jogar a carreira para o alto, onde ela ganhava para viajar e produzir documentários, mas Gisele tinha a segurança de sua capacidade profissional, e caso nada desse certo, voltaria e tentaria entrar no mercado de trabalho novamente.

A notícia que mudou sua vida

Antes de viajar ela resolveu fazer um checkup e 15 dias antes passou por uma biópsia da tireóide, onde acreditava que não daria nada de anormal, pois todos os anos passava por esse exame de rotina, mas o médico coletou errado e teve que repetir o exame, mas faltavam 3 dias para a viagem.

Embarcou para Barcelona em pleno momento em que estava passando pela independência da Catalunha, um mês depois do atentado na rua mais famosa de Barcelona, proporcionando para ela um trabalho de correspondente internacional na emissora em que trabalhava (Record).

A pós-graduação teve início e junto com a correria acabou se esquecendo de entregar o resultado do exame para a médica.

Uma amiga a lembrou, pois ela já sabia que alguma coisa tinha dado errado no exame de Gisele, foi nesse momento em que ela se deparou com o pior momento de sua vida, descobriu estar com câncer na tireóide, totalmente sozinha em um País onde não tinha família, nem amigos por perto. 

Lidando com o diagnóstico do câncer

Ela decidiu que comunicar a sua família não a ajudaria, pois eles não poderiam fazer nada a distância, mas entrou em contato com o padrinho que era médico, foi onde teve a surpresa e descobriu que seu padrinho também estava com câncer.

imagem que represente mulher preocupada
Ela entrou em contato também com o seguro-viagem, que disponibiliza atendimento de urgência

Coincidentemente, eu também peguei o resultado do exame de um melanoma durante uma viagem, o médico que o acompanhava já tinha dito ser câncer mas como ele não era oncologista, eles aguardaram o resultado da biópsia para confirmar o resultado.

Também passei pelo choque desse misto de sensações ao descobrir o melanoma, que trata se de um câncer agressivo na pele.

Eu segui o conselho da médica que disse para não procurar informações na internet sobre o diagnóstico, pois poderia influenciá-lo negativamente com informações desconcertadas que poderiam levar a um nível de estresse desnecessário.

Eu estava de viagem marcada para Las Vegas, a médica sugeriu que solicitasse que alguma pessoa próxima pudesse levar as lâminas para refazer os exames.

Mesmo com esse problema, foi preciso desligar e curtir a viagem.

Passando por tudo isso, Gisele teve que voltar para o Brasil, o maior medo dela era não continuar vivendo o sonho que ela demorou tanto para guardar dinheiro e realizar.

O grande medo da Gisele foi não conseguir mais realizar seus sonhos, além do medo da morte em razão da doença.

Quando ela chegou no Brasil contou aos seus pais sobre o câncer e ela já tinha um plano em mente. 

Durante esse processo de aceitação a internet ajudou, como ela não teve amigos e nem família para conversar procurou na internet descobriu que o câncer de tireóide tinha três tipos e que o dela não era o mais grave.

Criando um plano de emergência

O que ajudou muito no processo foi a cabeça da Gisele estar muito boa, ela já planejava voltar para viajar o mundo, sem saber se poderia.

Isso ajudou muito: ter algo para ocupar a sua cabeça. 

Quando acontece uma situação como essa a gente perde de fato a racionalidade das coisas, acaba caindo no buraco negro.

Mesmo quem é muito ativo e tem uma força interior muito grande é afetado com esse tipo de notícia.

No final das contas você é um ser humano, mesmo que seja uma pessoa que tem uma resiliência muito forte.

imagem que represente empreendedor digital focado
Quem é empreendedor precisa ser muito resiliente, isso é fato

Às vezes você se vê numa situação como essa e passa por um revés emocional que você nem conhece.

A gente é muito acelerado e quer fazer muitas coisas ao mesmo tempo, mas a vida tem o tempo dela e deve ser respeitado.

Um diagnóstico como esse numa vida acelerada é como pular de um trem em movimento, porque o trem não vai parar para que você desça, a vida também não para que tenha tempo de processar as coisas.

Trabalhar pela internet e ganhar dinheiro online

Passado o seu tratamento, Gisele queria voltar para a Espanha e não sabia como, perguntou a uma amiga como poderia fazer isso porque ela já estava trabalhando em três empregos.

Ela tinha um blog que não parava de crescer e a sua amiga disse: Você precisa monetizar.

E dentro de um evento ela conseguiu fazer isso, naquele momento saiu praticamente o primeiro contrato dela como influenciadora ganhando dinheiro do Instagram e foi um dos contratos que levou ela a embarcar para Espanha.

Gisele conheceu muitos países, ela fez várias viagens e foi apenas com  $10000 na conta para Europa e voltou com os dez mil na conta e foi recebendo dinheiro lá para viajar e continuar estudando.

Viagens de baixo custo

Afinal, ao realizar tantas viagens com frequência, como fazer para economizar?

Gisele nos conta que nunca tinha viajado tanto no Brasil como está viajando agora nos últimos anos. Hoje ela opta por viagens mais baratas e econômicas, porém mais lentas. Desta forma, ela tem um estilo nômade digital de ficar mais tempo no lugar. Porém para que fique mais tempo no lugar, ela tem mais custos, o principal é a hospedagem.

imagem que represente pessoa gravando conteúdos
Hoje ela é embaixadora de uma plataforma e isso acaba gerando dinheiro para pagar algumas hospedagens

Outra dica é que quando ela viaja faz a troca de experiências, como por exemplo, ficando em hostels sendo social media do lugar.

Ela filma, faz fotos, produção de conteúdo para o Instagram e acaba ganhando acomodação e muita das vezes, uma alimentação por dia.

Gisele tem algumas fontes de renda que possibilitam que ela guarde um pouco do dinheiro, o maior investimento dela nas viagens é no aéreo.

Uma dica para comprar passagens mais baratas: fazer sempre a busca por guia anônima em sites como Kayak.

Na Europa ela usou muito uma plataforma, usada para que você se hospede na casa de alguém que mora no lugar.

É uma experiência mais barata, considerando ter uma pessoa que mora naquele local, que pode te dar algumas dicas que você não teria sozinha em um hotel, por exemplo.

Ela utiliza dessas técnicas para que não precise gastar tanto na viagem e prefere viajar mais a consumir mais, o que importa é ter mais tempo de experiência em lugares que nunca foi.

Como é influenciadora digital precisa sempre estar postando com looks diferentes.

Ela aprendeu a montar looks de forma minimalista e levar todos em suas viagens para que as fotos e tudo mais ficassem diferentes.

Porque além de visitar, precisa produzir conteúdo.

A desinibição de Gisele colabora muito para que ela tenha esse estilo de vida, pois ela consegue conversar com pessoas e pegar dicas para aproveitar oportunidades.

Quem quer ter esse estilo de vida, principalmente viajar ou morar fora do País tem que destravar.

O idioma não pode ser uma barreira para conhecer o mundo.

Palestrante do maior evento de marketing contábil do Brasil

Gisele teve uma experiência de palco no Summit 2021 onde compartilhou dicas e falou muito sobre o seu material.

Mesmo tendo familiaridade com as câmeras, ela confessa que teve um frio na barriga ao entrar ao vivo no evento, e isso é normal.

imagem que represente palestra de Gisele no Marketing Contábil Summit
Pela primeira vez ela participou do nosso evento e teve uma ótima palestra que gerou grandes resultados

Foi uma experiência muito legal principalmente por ter esse retorno pelas redes sociais que hoje é a forma que você tem pelo feedback do seu público.

É preciso aprender que na verdade a gente não comanda a nossa vida e a vida de ninguém.

Acreditar realmente que os momentos são únicos e devemos aproveitar todos eles.

É importante deixar que as coisas aconteçam naturalmente, por mais que a gente naturalmente tenha um planejamento.

Gisele sempre sonhou com a liberdade geográfica de poder trabalhar de qualquer lugar do mundo.

Seu maior sonho é conhecer cada pedaço do mundo, ter a experiência de viver localmente em cada lugar e ter a sua liberdade de poder trabalhar para ela mesma.

Ela quer ter a liberdade de ir para onde quiser e quando quiser. Liberdade geográfica e liberdade de poder trabalhar para ela mesma será sua própria chefe.

Gisele quer alcançar mais pessoas, ela não quer recuar e ficar nos bastidores e ela entende que precisa monetizar melhor, para que tenha uma vida de mais escolhas.

Muita gente fica insegura e acho que não consegue por diversos motivos, mas ao fechar algumas portas que existia à sua disposição, você pode abrir outras portas.

Você precisa entender os sinais e ter coragem de dar o primeiro pontapé, coragem e resiliência são duas palavras fortes nessa jornada.

E você? Qual o seu sonho?

O que te impede de realizar?
Deixe para nós o seu comentário e confira outros artigos no blog aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *