FRANQUIAS: VALE A PENA?

FRANQUIAS: VALE A PENA?

Vamos falar um pouco sobre franquias… Será que apostar numa franquia nesse momento é a melhor opção para você? Ter uma franquia representa a possibilidade de um bom negócio?

Esse questionamento deve ser considerado neste momento de crise que estamos passando, como uma nova possibilidade que teremos para o empreendedorismo.

Para produzir este conteúdo contamos com a ajuda de José Fugice, que é um especialista sobre o assunto. Vamos falar sobre possibilidades para os empreendedores nesta fase, será que esse é o momento ideal para investir nesse formato de negócio?

Vamos descobrir nesse bate papo super interessante que tivemos! Lembre-se que toda vez que aparecerem as iniciais JF (José Fugice) representa a fala do especialista no assunto. Combinado?

Esse é o momento ideal para franquear ou para comprar uma franquia?

JF: Considerando que todo mundo está muito indeciso e o mercado também, são nesses momentos surgem as grandes oportunidades.

Dentro de um shopping, existe uma coisa que se chama mix de lojas. Por exemplo, um mix ideal de lojas no segmento de lingerie, geralmente varia entre 7 e 9 lojas.

Muitos shoppings estão com seu mix de lojas fechadas.

O que aconteceu na pandemia?

JF: Algumas lojas estão saindo do jogo e isso está abrindo oportunidades de outras operações entrarem dentro do shopping.

Então, os melhores pontos, nos melhores shoppings estão aparecendo, dificilmente você entraria com uma marca nova com uma franquia nova, se não fosse esse momento.

Isso porque existe uma fila de espera gigantesca, os melhores pontos já estão ocupados e esse momento fez com que grandes oportunidades possam acontecer.

Essas oportunidades não são somente para uma pessoa que está em um shopping bom mudar para um corredor melhor, ou que está dentro de um shopping ruim ir para um melhor.

Nas operações de rua a mesma coisa acontece, surgirão muitos pontos bons que não estavam disponíveis no mercado.

imagem que represente pessoa olhando fixamente com muita atenção
As pessoas têm que começar a olhar as oportunidades que começarem aparecer

Agora também estão aparecendo muitas pechinchas. Imagine um franqueado que estava com o capital de giro prejudicado ou já estava cansado da operação, pensando em mudar o negócio, essa crise foi um motivo a mais para querer repassar o ponto.

imagem que represente símbolos financeiros
Neste momento você pode comprar um ponto muito abaixo do preço

As pessoas não largam uma franquia somente porque ela não está dando resultado, às vezes eles querem mudar de vida estão cansadas do dia a dia.

E nesse momento, até pela questão de ter a instabilidade, surgem muitas pechinchas no mercado.

Mercado de franquias

Vamos abordar sobre quais os critérios as pessoas que nunca entraram dentro desse mercado precisam analisar. Continue acompanhando!

Quais são os pontos essenciais que devem ser analisados?

JF: A primeira coisa que sempre destaco: seja egoísta nessa decisão. Faça uma autoanálise e entenda o que faz sentido para você. Para dar certo no empreendedorismo é preciso de muito suor e dedicação, a pessoa tem que se dedicar e gostar daquilo que faz.

Não se trata apenas do segmento ou setor, o negócio terá sucesso se a pessoa souber pilotar um negócio.

imagem que represente pessoa desmotivada
Se a pessoa não for boa e não estiver motivada, a franquia não vai dar certo

O ponto de partida para tomar essa decisão é: o que faria você feliz? O que te faria estar mais motivado para levantar da sua cama e trabalhar todos os dias, enfrentando todos os desafios que empreender nos traz?

É preciso ter essa relação entre o propósito de vida e o negócio, para que a pessoa realmente consiga conduzir.

Esses são pontos comuns para qualquer franquia, se você não tiver a força de vontade e a garra, não vai ter resultados.

Muita gente compra franquia olhando só os números, isso está muito errado!

Você não pode olhar o número primeiro, pense no que vai querer fazer.

Existem muitas coisas que envolvem uma franquia: será que você está confortável em executar todas as atividades? Se sim, ótimo! Se não, é preciso rever sua decisão.

imagem que represente pessoa estudando possibilidades para empreender
Muitas pessoas que perderam seus empregos vão montar o seu próprio negócio

Temos cerca de três mil franquias no Brasil, incluindo as microfranquias, com certeza haverá uma que se encaixa no seu perfil. Mesmo quem nunca se viu dentro do empreendedorismo, agora está numa situação onde enxerga que não terá emprego para todo mundo, até a volta da economia vai levar um bom tempo.

A franquia ajuda para quem não tem experiência empreendedora?

JF: Muita gente acredita que ao trabalhar com franquia, você está comprando o seu emprego. Eu me pergunto: “Qual o problema de comprar o seu emprego?”

Você prefere ficar desempregado, fora do mercado ou comprar o seu emprego?

Talvez em algumas situações, essa seja uma forma da pessoa voltar para o mercado de trabalho e ter uma fonte de renda. Algumas pessoas não vão conseguir voltar ao mercado de trabalho e outras, mesmo que voltem, não vão ganhar a mesma coisa. Neste caso, a pessoa terá que reduzir o padrão de vida e talvez a franquia seja uma alternativa para que ele mantenha o seu padrão de vida.

Investimento vs Retorno

Existem muitas franquias que as pessoas podem investir, em algumas franquias o investimento inicial é de R$ 2500,00.

É óbvio que neste tipo de franquia terá um retorno de cerca de três a quatro mil, mas lembre-se o tamanho do seu investimento.

Tenha cuidado com essa parte do sonho e não se engane, o investimento está diretamente relacionado com retorno que pode ter.

JF: Fazendo um paralelo com os aplicativos de transporte. No aplicativo você não tem um negócio, você é um trabalhador que não tem vínculo nenhum com a empresa e ganha uma comissão.

Na microfranquia, mesmo pagando barato e ganhando mais ou menos a mesma base, você tem um negócio e está construindo um ativo.

Se construir uma boa base de clientes, posteriormente poderá vender esse negócio.

Inclusive, no mundo digital existem muitas empresas de startup que estão desenvolvendo modelos de microfranquias para escalar o modelo de negócio.

Em muitas franquias, o papel do franqueado é captar o cliente e fazer um atendimento de primeiro nível somente.

No e-commerce, por exemplo, o franqueado de uma loja virtual, promove essa loja nas suas redes sociais, mas toda parte da transação financeira, fiscal, contábil e logística é feita pelo franqueador.

Temos várias situações diferentes que se encaixam em uma franquia. Outra coisa importante é fazer uma previsibilidade, o dinheiro investido não é somente aquele para montar um negócio.

Quais os erros que as pessoas cometem nesse sentido?

JF: No intuito de expandir, às vezes o franqueador simplesmente sonega essa informação. Muita gente vê o negócio como se não precisasse de investimento e se pagasse ao longo do tempo, isso é um erro fatal.

Sabemos que se o negócio não tiver um caixa ou não tiver fôlego, sofrerá muita pressão. Algumas pessoas compram uma franquia sem capital de giro nenhum, financiando o investimento inicial.

Se esse negócio estiver demorando um pouco mais de tempo para maturar e for difícil de trazer o cliente para operação, como as coisas vão ficar?

imagem que represente pessoa com reserva financeira
Muitas vezes elas não projetam esse capital de giro necessário para o negócio

A franquia não é uma conta matemática ou uma ciência exata, depende de muitos fatores: quanto mais capital de giro você tem, mais seguro será seu empreendimento.

É preciso ter consciência do que fará caso o negócio não se pagar ao longo do tempo, é preciso ter um plano B, uma reserva financeira.

Essa é uma reflexão que as pessoas precisam fazer. Algumas franquias têm até a taxa inicial parcelada e de certa forma, isso é incorreto.

Posso dizer com certeza que as melhores franquias, nenhuma delas, admite parcelamento de taxa.

Por que as melhores franquias não admitem parcelamento de taxa?

JF: As melhores franquias não admitem porque tem muita gente interessada, pois o negócio é bom, portanto, desconfie se o vendedor estiver facilitando demais a venda ou querendo “te empurrar” o negócio, talvez o número de franqueados interessados seja muito pequeno.

Nós temos grandes oportunidades, mas ao mesmo tempo precisamos ter um olhar estratégico e uma preparação para entender claramente como aproveitar essas oportunidades.

Para encerrar sobre esse tema, perguntei ao José, o que ele falaria diante deste cenário atual. Confira!

O que o empreendedor pode fazer para ser bem sucedido dentro do mercado de franquias?

JF: Primeiro para você que está desempregado e não tem perspectiva de voltar para o mercado, nem ganhar a mesma coisa que você ganhava: no seu lugar eu partiria para o modelo de franquias.

Dentro de uma franquia você vai ter um apoio e suporte, trabalhando com uma estrutura que já foi desenvolvida. Entenda que os erros que já foram cometidos, e será mais fácil seguir um caminho com mais chances de sucesso.

Segundo a ABF (Associação Brasileira de Franchising) a mortalidade de uma franquia em dois anos gira em torno de 5%, sendo uma porcentagem muito baixa comparada a outros negócios, isso porque você tem um suporte desse franqueador.

E para quem está querendo diversificar o seu negócio com a taxa SELIC de 2.25% ou você vai para o mercado de ações ou começa a empreender.

Se quer diversificar seu negócio, talvez as franquias sejam uma boa oportunidade.

Uma franquia tem processos ajustados, manuais de procedimentos, KPI’s e indicadores que possibilitam controle na sua gestão.

Talvez você consiga colocar uma pessoa próxima e de confiança para gerir esse negócio, pode gerar de 2% a 4% de rentabilidade ao mês, se for bem gerida e bem estruturada pode ser muito vantajoso o processo.

Muitos investidores compram franquias e colocam  pessoas para gerir?

JF: Cada dia mais isso acontece, principalmente com as franquias mais estruturadas e grandes marcas. O franqueado, embora esteja comprometido financeiramente e com o foco dele na operação, ele não fica no dia a dia na operação, pois muitos deles tem mais de cinco unidades de franquia.

As grandes redes privilegiam os franqueados que tem mais performance, elas têm fomentado isso, porque ganham escala, melhorando a rentabilidade da franqueadora quando se tem menos franqueados e deixa o modelo mais robusto. Se você tem uma loja que vende bem e outra que vende um pouco menos, na média, terá um negócio saudável.

Para entrar num modelo de franquia mais estruturada o processo é mais difícil, elas são mais fechadas, até mesmo com os próprios franqueados atuais.

E muitas franquias no mercado, que tem muito potencial para poder se tornar uma grande franquia, estão começando a jornada, vale a pena pesquisar.

Como disse acima, existem mais de três mil redes de franquias no Brasil, fora as internacionais que tem vontade de entrar no nosso País.

Saia da sua zona de conforto, vá atrás e pesquise! Com certeza existe algum negócio que tem a ver com você e se encaixa no perfil do que você quer empreender.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Fale com a gente