ESPECIALISTA VS LANÇADOR: ENTENDA ESSA RELAÇÃO PARA LANÇAMENTOS DIGITAIS

Entenda a relação entre especialista e lançador e quais cuidados são necessários para que ambas as partes cumpram suas obrigações e o trabalho em conjunto resulte em sucesso e futuras oportunidades de negócio.

Se é um especialista ou é um lançador, esse conteúdo é para você!

Vamos falar neste conteúdo sobre a relação necessária, e o que você pode fazer para identificar e evitar problemas dentro dessa relação para que possam ter sucesso juntos.

Nós temos duas classes nessa relação: de um lado o especialista que detém o conhecimento, domina o assunto que é referência muitas vezes em determinado assunto, mas não tem um produto digital.

Ou que já lançou um produto digital mas que não teve resultados, porque não passou por todas as etapas necessárias para construir um produto digital e ter resultados e ele busca a força de um especialista em lançamentos.

imagem que represente parceria entre profissionais
Alguém para cuidar daquele projeto, fazer uma parceria e para que ambos possam ter resultados

Do outro lado, temos o lançador que também tem problemas muitas vezes com especialistas, precisando lançar vários especialistas para que possa efetivamente ter bons resultados ao longo do seu ano e ele precisa construir essas relações.

O que você precisa fazer para não ter grandes problemas  dentro dessa parceria?

A primeira e importante coisa a ser feita é ter um contrato de prestação de serviço entre as duas partes.

Contrato de Prestação de Serviço

É essencial ter o contrato do processo e dessa parceria.

Normalmente você tem a figura do contratante que é o especialista, ou seja, quem está contratando o serviço do lançador.

O produto, a rede social e a construção de conteúdo é do especialista e isso tem que ficar previsto em relação aos direitos de imagens desse profissional.

Muitas vezes o lançador ou uma agência de lançamento, vai além desse processo somente de lançamento de produto digital e constrói um processo de audiência, é preciso ficar claro que aquele conteúdo é do especialista.

O conteúdo não pode ser do lançador, pois não existe a mínima lógica. Caso a relação acabe, o conteúdo está nas mãos do especialista.

O que pode acontecer muitas vezes o lançador ou uma agência de lançamento fazer um trabalho tão completo, de produzir todo o conteúdo daquele especialista, fazer todo o processo de lançamento e tudo mais e ter definido em contrato que aquele produto em si, se não for dado continuidade nesse processo de parceria, vai acabar ali.

O especialista não poderia aproveitar aquele produto, isso pode acontecer, principalmente quando você tem uma relação como essa: onde o lançador ou a agência de lançamento prepara todo esse processo.

Portanto, pode ficar determinado contratualmente que aquele conteúdo pertence ao processo de parceria que foi construído.

Uma vez que essa parceria acaba, consequentemente acaba o conteúdo também.

Essa é uma relação de risco?

Obviamente é uma relação de risco, mas é necessária. Muita gente não tem condições de fazer um lançamento sozinho e muitos especialistas vão precisar de alguém profissional que os ajude.

Montar uma estrutura pode não fazer sentido, pois ter uma estrutura de lançamento é caro e muitas vezes você não encontra as pessoas que dominam todas as habilidades necessárias.

Se fizer um lançamento 4 vezes por ano, não faz sentido ter pessoas contratadas para isso de forma permanente.

Determine quais são as responsabilidades

Ao contratar as pessoas para essa operação esporadicamente, realmente é essencial, mas é preciso um contrato de prestação de serviços entre as partes. E esse contrato precisa conter as responsabilidades de cada um e esse é um grande problema. 

Muitas vezes a agência de lançamento tem um contrato com o especialista, mas o especialista não colabora com o processo de lançamento e os resultados ficam a desejar porque o especialista não quer fazer uma live, produzir conteúdo e todo esse processo fica difícil.

A construção de uma relevância na internet demanda tempo e você precisa considerar que esses fatores são essenciais.

imagem que represente divisão de tarefas
Determinar a responsabilidade de cada um é muito importante nesse caso

Por outro lado, o especialista contrata a figura de um lançador mas o lançador não tem o serviço completo.

No meio do caminho, até para questão de inexperiência desse especialista, ele descobre que ele vai contratar um lançador mas precisa de um copyright, alguém que faça gestão de tráfego ou vai precisar contratar outra agência para fazer a edição dos vídeos.

O copyright é a maneira mais recomendada de proteger os produtos, ideias e serviços de uma empresa. Com ele, é possível evitar pirataria e processar aqueles que copiam materiais de outras pessoas para ganhar dinheiro. Assim, oferece segurança aos produtores de conteúdo e ajuda a profissionalizar o mercado.

Fonte: https://rockcontent.com/br/blog/copyright/ acessado em 24/05/2021 às 16:26

Tudo começa a ficar muito complexo caso não seja definido claramente quais são as responsabilidades e as etapas existentes, ainda se existem responsabilidades que não serão de nenhum dos dois e que vão precisar de um terceiro para poder contratar.

Por exemplo, temos uma empresa de treinamento além da contabilidade, e essa empresa já lançou alguns especialistas dentro do nicho onde atuamos.

Mas, para isso, nós temos o processo de edição, o design para fazer criativos,  uma pessoa para fazer as páginas de venda, página de captura, que vai fazer todo o processo de configuração, nós vamos construir todo o processo dentro do Hotmart  e depois de tudo isso pronto, será feito o lançamento e é feita a divisão entre as partes.

Isso é muito fácil para especialista que não tem autoridade, pois está usando a minha autoridade para fazer o lançamento daquela pessoa.

Se eu lanço uma pessoa falando sobre o assunto tributário, mesmo que essa pessoa não seja conhecida no meu mercado, por eu ser conhecido no mercado, eu passo a autoridade endossando a compra de tal produto, ou seja, qualificamos o trabalho daquela pessoa.

É uma relação mais simples e o especialista terá um faturamento às vezes menor com relação ao especialista que contrata um lançador, mas que efetivamente precisa ter muito mais responsabilidades, como a questão própria de ajudar em todo o processo de lançamento e produção de conteúdo.

Ter o contrato é essencial, não dá para ficar sem contrato nessa relação.

Alinhamento de expectativas

Justamente em razão desse problema de contrato, muitas vezes gera-se uma expectativa irreal entre as partes, quando as coisas começam a fluir no dia a dia para um lançamento, percebe-se que as expectativas acabam se tornando grandes frustrações.

Um fator importante e essencial para que não tenha problemas é ter um alinhamento de expectativas real.

Não dá para imaginar que vai ter um especialista que vai fazer tudo. Às vezes ele não tem tempo para responder às pessoas e efetivamente não quer fazer um processo de pré-lançamento, produzindo conteúdo e criando audiência.

Esses são fatores que vão fazer a diferença no lançamento, mas você precisa conhecer e estabelecer o perfil e o outro lado da relação também precisa ser pensado.

Às vezes o especialista tem uma expectativa tão grande sobre o lançamento, muitas vezes pode ser culpa do lançador que promete muita coisa, e quando vai fazer um lançamento e ele vê por exemplo que futuramente ficou “a quem”.

Todo faturamento nos primeiros lançamentos geralmente é um processo de aprendizagem e acaba levando um tempo para que as coisas aconteçam, isso faz parte do jogo!

Um alinhamento de expectativas claro facilita que esta relação possa perdurar e essa parceria gerar resultados futuros interessantes.

Etapas do lançamento

Também é preciso estabelecer muito claramente quais serão as etapas do lançamento e como serão conduzidas.

Por exemplo, se o especialista vai participar ativamente do lançamento – e isso é fundamental para que vocês tenham melhores resultados – o especialista precisa travar a agenda dele para que naqueles dias do pré-lançamento, do lançamento em si , abertura do carrinho ele faça o trabalho dele.

Ele tem que participar das lives e olhar a própria copy. Por se tratar de um assunto muito específico, pode haver um desalinhamento da copy.

É preciso ter cuidado para não ter nada que é prometido e não deve ser, estabelecer um padrão, porque às vezes a cópia é muito agressiva e não é o perfil do especialista ser tão agressivo.

Essas coisas precisam ser muito bem alinhadas, para que efetivamente possam ter melhores resultados dentro do lançamento em si.

Cabe ao lançador ou a agência de lançamento, dar um overview de como serão feitas essas etapas para que as coisas fiquem claras e efetivamente tudo esteja caminhando para o mesmo norte, evitando problemas.

Tributação para infoprodutos

Por fim, é preciso chamar atenção para a questão tributária, esse é um fator importante e muita gente erra nesse aspecto.

Supondo que tenha uma relação 70×30 (70% especialista e 30% lançador)  como fazer a relação tributária para ter menos impostos?

Normalmente fazendo o split de notas fiscais separados dentro da Hotmart ou de outra plataforma automatizada, tendo um processo de coprodução na plataforma.

imagem que represente empreendedor preocupado
Isso vai evitar, por exemplo, que vocês paguem uma tributação desnecessária

O coprodutor, se não fizer o split de nota fiscal, vai ter que emitir nota fiscal para o especialista e o especialista paga 100% da tributação, consequentemente o imposto fica mais caro. O coprodutor, que seria o lançador, vai pagar imposto daqueles 30%.

Esse é apenas um exemplo de 70×30 pode ser outra relação e essa regra efetivamente vai prevalecer.

Ao fazer o split de notas fiscais separadamente, terá 30% das notas fiscais emitidas por um e 70% das notas fiscais emitidas por outro.

Consequentemente, terá imposto pago proporcionalmente por cada um, até porque em muitos casos além disso existe a pessoa que também faz o processo de afiliação.

Com isso há uma segregação de faturamento ainda maior, consequentemente um imposto ainda maior para especialista que está pagando imposto sobre a parte que é da coprodução que seria especificamente do lançador.

Na prática você precisa ter um contador, que conheça especificamente esse mercado que vai conduzir esse processo para você para que esse processo flua com a menor tributação possível, esse é um aspecto grande e importante a ser considerado.

É importante começar com ambos tendo um CNPJ.

Se não tem um CNPJ ou não sabe como fazer isso ou se não está satisfeito com o que tem hoje em relação a contabilidade, a Tactus Contabilidade pode te ajudar.

Entre em contato conosco.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *