Por vezes a situação financeira não vai bem, o crédito para continuar gerindo a questão financeira do negócio acaba por algum motivo faltando, ou não sendo o suficiente para as despesas do mês e a saída que que alguns empreendedores acabam encontrando de forma imediatista é utilizar o cartão de crédito de terceiros.

Seja o cartão ou os cartões de crédito da esposa, filho, tio, avó, mãe – enfim, são geralmente os familiares próximos e de confiança, que acabam emprestando seus cartões de crédito, porém essa é uma atitude arriscada e errônea tanto para o empresário quanto para a pessoa física que faz o empréstimo e pode acabar gerando riscos para ambos.

É preciso ter muita atenção a esse tipo de comportamento para evitar problemas para ambos os lados.

Afinal, geralmente uma pessoa física, que usa o cartão de crédito apenas para despesas pessoais, não tem o hábito de ter débitos com valores elevados. E de repente o movimento do cartão cresce desmedidamente de um gasto normal e contínuo para um gasto, de por exemplo, vinte e cinco mil reais em um mês, e provavelmente o banco irá se atentar a essa mudança repentina na receita, podendo gerar problemas a essa pessoa física, sem contar com a questão das contas que ela terá que prestar referentes a seu imposto de renda.

Portanto, veja que uma atitude de empréstimo como essa pode levar a questões mais sérias e complicar a vida daquele que faça o favor, afinal se o mesmo é uma pessoa física, os gastos que possui no cartão são mais contínuos e regulares em termos de volume de valor.

E hoje ter um cartão de crédito com um bom valor é algo relativamente fácil, pois conforme você é um bom pagador, o banco vai liberando crédito, e se a pessoa estiver com o nome limpo, o cartão é imediatamente liberado, então a verdade é que não faz tanta diferença a comprovação de renda, você faz um cartão facilmente e à medida que vai criando um bom histórico vai somente aumentando o seu crédito porque o escore fica bom.

Só que aí o que pode acontecer é o seguinte – essa pessoa que possui um bom histórico e em consequência um bom valor de crédito lhe empresta o cartão, então você, enquanto empresário, começa a movimentar o cartão de terceiros, só que essas pessoas não tem um lastro e se der um problema na pessoa física delas? O que poderá acontecer?

Portanto, muito cuidado. Certamente que seu objetivo não é prejudicar ninguém como também não quer prejudicar a si mesmo, mas os fatos comprovam que é geralmente nisso que resultam esses empréstimos – para problemas em ambos os lados.

Essas são realmente situações muito complicadas, pois na maioria das vezes que esse tipo de situação acontece é porque realmente o empresário já tentou todas as outras formas possíveis e ficou sem alternativas para encontrar outra saída.

Mas ainda assim, é preciso ficar atento, afinal essa própria dificuldade já está na verdade apontando provavelmente para uma falha de gestão financeira da empresa, que por algum motivo já não vai bem, ou desestabilizou, ou começou a entrar em uma situação crítica que precisará ser repensada e reformulada.

Portanto, utilizar o cartão de crédito de terceiros nunca é uma boa alternativa para seu negócio, para sua vida como empresário, bem como, para aquele que se encontra até muitas vezes em uma situação constrangedora de dizer não e acaba emprestando o cartão e depois ficando com um grande problema em função dessa atitude.


Leave a Reply

Your email address will not be published.