Como lidar com Problemas Financeiros

Como lidar com Problemas Financeiros

Você que é empresário e está com problemas? Tem ideia de como a sua empresa pode superar problemas financeiros?

No conteúdo abaixo vou apresentar cinco dicas para resolver esse problema na prática.

Dica 1 – Controle Financeiro

A primeira dica é entender o que está acontecendo com relação a sua empresa. Você só conseguirá entender a real situação quando tiver o registro das informações relativas ao que aconteceu na parte financeiraQuando nos deparamos com um cliente que está enfrentando problemas, na maioria das vezes, ele não tem nenhum tipo de controle financeiro.

E para ajudar alguém nessa situação é um pouco mais complicado. Pois não há como elaborar um ponto de partida para uma resolução efetiva de problemas. Caso não tenha nenhum controle financeiro qual medida pode ser tomada em relação ao seu negócio?

É possível elaborar um controle dos três últimos meses da sua empresa, e para ajustar isso de maneira mais prática, a empresa pode optar por um sistema como o Conta Azul®. Nesse sistema é possível importar o extrato bancário das suas contas correntes e categorizar todos os valores de entrada e saída da sua empresa.

Tela do sistema financeiro ContaAzul

Porque é importante trabalhar com essa importação de extrato? Com essa ação você ganhará tempo para fazer uma categorização e ter as informações financeiras que precisa. 

E por que três meses anteriores? Esse tempo possibilitará que tenha um histórico e com ele será possível entender um pouco mais a situação geral, contando com alguém que saiba analisar essas informações, para que possa decidir algumas ações práticas em relação a seu negócio.

Então a primeira dica é:

  • Criar um histórico sobre o seu controle financeiro dos últimos três meses.
  • Categorizar as suas receitas e despesas para que possa ter controle.
  • Depois é necessário que comece a interpretar essas informações.

Se não tiver possibilidade de fazer uma interpretação do que está acontecendo na sua empresa à situação ficará mais difícil. Ao fazer essa interpretação é possível enxergar melhor o que acontece em relação às suas finanças.

Dica 2 – Separar suas Despesas

A segunda dica é que deve separar todas as suas despesas operacionais das não operacionais bem como custos fixos e custos variáveis. Tudo o que está ligado a sua operação serão suas despesas operacionais. Tudo que há um custo que tenha uma variação mensal é custo variável, e o contrário disso são os custos fixos.

E o que não está ligado à operação são despesas não operacionais. Um exemplo é quando uma empresa tem uma área de gestão do seu negócio, e nela operando um administrativo, essa é uma despesa não operacional e um custo fixo da sua empresa.

Pela percepção correta seria tudo denominado como despesa, porque ele não está ligado diretamente à produção em si. Mas isso garante que entenda melhor porque nós chamamos de custo fixo, ele é tido assim porque não tem uma variação de valor. A pessoa que faz a parte de gestão de maneira geral custará todo mês o mesmo valor.

E porque é importante a avaliação do custo fixo? Esse custo determina a quebra de caixa de uma empresa.

O custo variável, por exemplo, como o comissionamento pago a vendedores é um custo que influencia mais os resultados que a empresa terá do que com as vendas em si. O custo fixo será repetido mensalmente.

E quanto maior for o seu custo fixo tanto maior serão os seus problemas financeiros.

Um custo fixo muito alto vai impactar em um faturamento mais alto, porque, somente a alta lucratividade poderá superar os seus custos fixos. Então, na prática, quanto mais custo variável tiver, melhor tende a ser o seu desempenho. 

Pois é possível vencer de maneira mais fácil esses custos variáveis se livrando deles. Por exemplo, um custo variável de energia elétrica, conforme você consome menos energia elétrica diminui o seu custo de maneira direta. Já um funcionário que é um custo fixo, não há como dispensá-lo da noite para o dia.

Além disso, existem outros encargos num processo de eliminação de custo fixo. Se no caso fosse uma pessoa jurídica prestando um serviço a sua empresa seria mais simples cancelar o contrato com ele, bastaria seguir as regras contratuais que acordaram. Então o custo variável é muito mais fácil de eliminar diante a um problema de caixa. O custo fixo não.

Então, quando você assume uma vocação, quando amplia as atividades da sua empresa e precisa de um espaço maior, por exemplo, assume o custo fixo daquilo, você vai aumentando o ponto de quebra que é o que chamamos de ponto de equilíbrio. 

Quanto maior for o ponto de equilíbrio mais a sua empresa precisa faturar para que possa ter melhores resultados.

Separe as suas despesas operacionais das não operacionais, porque as “não operacionais” podem ser um grande gargalo na sua empresa enquanto as operacionais estão gerando caixa dentro da empresa. Ou seja, está usando elas para que possam gerar melhores resultados e separe os custos fixos dos variáveis.

Lembrando que o custo fixo pode matar a sua empresa porque ele vai aumentar a sua necessidade de faturamento mensal para poder suprir os seus custos. A ideia é ter um negócio que tenha o menor custo possível, para que garanta flexibilidade e possa minimizar os riscos caso haja uma queda de faturamento.

Os negócios sempre terão uma oscilação no seu faturamento baseado em sazonalidade, em problemas ou em outros fatores.

Dica 3 – Diminua seus Juros

A terceira dica é unir todos os débitos que tem e que estão gerando juros altos fazer algum tipo de acordo com esses débitos. Como pode fazer isso? Terá que olhar para cada um desses débitos individualmente e depois como um todo.

Por exemplo, os débitos bancários, quando você está no cheque especial paga uma taxa de juros de, por exemplo, 5% ao mês, e vai pagar mensalmente esses juros se não resolver a sua situação. Onde a tendência é só aumentar a dívida.

Pois, normalmente continua devendo, seu saldo devedor não diminui e tem como custo o pagamento de juros mensal. Quando presta a atenção que a sua operação está girando em torno do seu cheque especial, dos juros dos adiantamentos dos cartões de crédito das suas vendas, por exemplo, e seu negócio desse modo não tem lucratividade.

A lucratividade não existe porque nesse caso está devendo para muita gente. Sem contar que também, é muito provável, estar devendo para o governo. Para quitar dívidas como essa é preciso estar atento, pois há momentos em que o governo proporciona parcelamentos para quem está em dívida tributária.

Proposta de Serviços de Contabilidade Online

Como o parcelamento do Simples Nacional. O que você pode fazer com tudo isso? Comece a analisar dívida por dívidaColoque as suas dívidas bancárias em uma planilha, junto com as taxas de juros que tem e comece a estudar possibilidades de renegociação.

O banco tem o poder de renegociar com você, poderá transferir a dívida para outro banco com taxas mais atraentes. É possível pegar um capital de giro específico e quitar essa dívida e ainda sobrar um valor para que tenha um pouco de fôlego. 

Ou simplesmente você pode chegar até o banco e dizer que precisa parcelar essa divida, pois não tem condições de continuar dessa forma, a dívida acaba se tornando impagável. E pode ocorrer sérias complicações quando a dívida se torna mesmo impagável.

Nesse caso ficar dando murro em ponta de faca não é o melhor caminho. É preciso que aceite a sua situação. Para que possa aceitar isso a situação fica muito mais evidente com a primeira dica que dei que sugere que entenda o que os números da sua empresa dizem.

Talvez com a ajuda de uma pessoa, um profissional contábil, ou com alguém de uma vivência financeira, seja possível que enxergue algumas coisas que não consegue na sua operação.

Mas um bom sistema de gerenciamento ajuda que você entenda melhor esse aspecto. É essencial que saiba enxergar a realidade. Se possuir uma dívida impagável do ponto de vista prático é preciso tomar medidas direcionadas a essa dívida.

Pode tentar negociar com os credores ou alguma outra ação para que possa superar esse momento. Se não fizer nada ficará com o problema e entra num ciclo que não tem saída. Você acaba trabalhando simplesmente para o pagamento de dívidas.

Dica 4 – Analise seu Pró-labore

A quarta dica é observar o que está acontecendo com o seu pró-labore. Essa é uma consideração bastante importante. Muitas vezes o empreendedor executa retiradas acima do permitido.

E só vai descobrir que isso é prejudicial quando parar de usar o cartão da sua empresa para pagar as suas contas pessoais, essa não é uma boa manobra. Essa ação mascara a raiz do problema. É muito mais fácil, porque apesar dos problemas financeiros da sua empresa ainda há dinheiro em caixa. E ele vem do giro da empresa.

E quando o empreendedor não tem dinheiro na pessoa física acaba tendo esses gastos com muito mais facilidade e acaba não percebendo o quanto está gastando.

Para isso deve tomar duas providências:

  • Separar um valor para a sua pessoa física e usá-lo o para fazer os pagamentos pessoais, assim terá um controle do seu pró-labore.
  • Comece a lançar corretamente no seu sistema para que possa efetivamente ter condições de enxergar onde o seu dinheiro está sendo empregado.

E muitas vezes essa ação revela que está gastando muito mais do que poderia na sua pessoa física. Isso é muito comum.

Os sócios acabam sendo quem sangram mais a empresa, são aqueles que geram mais problemas financeiros para empresa simplesmente pelo fato de não fazerem nenhum controle financeiroÉ preciso ter um controle de gastos para que não tenha problemas financeiros na sua empresa.

Dica 5 – Tenha Mentalidade Adequada

A quinta dica é sobre a mentalidade adequada. Existe um fator muito importante a ser controlado quando está com problemas financeirosQue é o que acontece dentro da sua cabeça.

Isso é importante, pois você precisa tomar decisões certas mais que nunca. As decisões erradas simplesmente podem te prejudicar ainda mais. Se está passando por problemas financeiros provavelmente tomou decisões erradas no passado.

Talvez tenha sido a decisão de não controlar as coisas corretamente, de permitir que a sua inadimplência aumentasse, custos desnecessários na sua empresa, gastar mais do que podia na sua pessoa física entre outros fatores.

É importante esquecer o passado e pensar daqui para frente. Se formos ficar voltando ao passado, eu, por exemplo, com mais de 20 anos no ramo contábil cometi vários erros que me trouxeram problemas financeiros, mas voltar ao tempo não é possível.

Anderson Hernandes em um evento com o ContaAzul no Amazonas

É preciso seguir adiante e olhar para o futuro para que continue tendo um desempenho adequado como gestor. E nesse ponto a mente é muito importante, ela que vai dirigir as suas ações e suas ações precisam ser mais acertadas daqui para frente e te exigem uma mente plenamente preparada.

É importante se informar melhor, estudar melhor os números, e se não tem muita habilidade ou familiaridade em lidar com números e controle financeiro será preciso que mude a sua mentalidade. Não há possibilidade de largar o financeiro para que outra pessoa faça a gestão por você se já está com problemas.

Você pode ter alguém que te ajude e te de orientação nos controles, mas não pode delegar 100% à outra pessoa tomar decisões financeiras em relação ao seu negócioÉ você que tem que controlar isso. E para isso é preciso que domine a sua mente e assuma o seu papel como gestor do seu negócio.

Se não fizer isso, não conseguirá resolver os seus problemas. Muitas vezes pode enxergar que precisa mudar o seu negócio, simplesmente mudar o seu mercado. Se sua empresa estiver direcionada ao mercado errado muitas vezes só aumentar a sua dívida.

Muitas vezes basta que migre para outro mercado no momento muito mais oportuno antes daquele mercado simplesmente acabar para ele e restarem apenas dívidas maiores. Se você não dominar a sua mente, as suas decisões, se não tiver informações necessárias, se efetivamente não for o gestor do seu negócio, as coisas não darão certo.

Invista o seu tempo em cuidar do seu negócio. Tenha sempre a mente preparada para tomar decisões sob o ponto de vista de conseguir tomá-las de maneira clara e conseguir manter a serenidade mesmo com credores te cobrando.

Isso não é fácil, mas você pode reverter à situação. Pode ser que leve um tempo, mas com certeza tem condições de reverter uma situação do tipo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fale com a gente
%d blogueiros gostam disto: