Gestão Financeira para Pequenas Empresas

Gestão Financeira para Pequenas Empresas

Um dos grandes problemas que o pequeno empreendedor enfrenta é o fato de começar um negócio e não sair do lugar e até mesmo acabar morrendo no processo de conquista dos seus objetivos ao iniciar, o que não é um caminho fácil.

E o que leva a empresa a enfrentar inúmeros problemas é a falta de gestão.

Fazer a gestão financeira de um negócio não é tão simples quanto parece.

Na medida que o negócio começa a ganhar um certo nível de complexidade esse processo acaba ficando cada dia mais complicado.

Você sabe como melhorar a gestão financeira do seu negócio?

Neste conteúdo vai encontrar os principais erros que um novo empreendedor comete em sua gestão e as soluções que realmente funcionam quando o assunto é a gestão financeira do seu negócio.

Captação de recursos financeiros

Ao começar uma empresa geralmente o empreendedor sai em busca de captação de recursos financeiros e, na ânsia de que seus planos aconteçam, logo acaba aceitando a primeira proposta de crédito que é oferecida.

Não faça isso!

Por mais tentador que um crédito possa parecer é preciso comparar as possibilidades presentes em diferentes bancos, pois, o objetivo do empreendedor deve ser captar recursos a juros baixos.

Muitas empresas morrem ao captar dinheiro a um custo muito alto e isso acontece quando o negócio não teve o desempenho esperado.

A captação de recursos deve evitar juros altos para não comprometer seu negócio
Pesquise opções para efetuar uma captação de recursos com um custo baixo

É comum que o pequeno empreendedor acabe contraindo uma dívida para pagar outra, e quando a cobrança chega a empresa não consegue pagar, e prazo para se restabelecer e pagar é inexequível.

A dívida de uma empresa cresce cada vez mais rápido, a juros compostos, e se estiver com o ganho estagnado o resultado será a falência.

Para evitar essa situação pesquise as formas mais baratas de captação de crédito, é trabalhoso mas necessário.

Ter opções diversifica o seu risco e aumenta as suas chances de ter sucesso.

Falando ainda sobre a captação de crédito: mesmo depois que a empresa já não for mais iniciante no mercado, só deve recorrer ao crédito quando todas as outras opções se esgotarem.

Toda dívida fragiliza uma empresa. Por mais sedutora que seja a proposta de pegar um capital para pagar uma conta ou acelerar o seu crescimento, ela não é a melhor opção. É possível tentar uma renegociação com os seus fornecedores.

Seu fornecedor pode colaborar com sua empresa com condições diferenciadas no pagamento
Negocie com o seu fornecedor redução de juros e prazos maiores para pagamento

Para um fornecedor não é interessante que a sua empresa “quebre”. Por isso, exponha a sua fragilidade a ele e negocie, traga ele para o seu lado.

Essa ação possibilitará trabalhar com prazos maiores, taxas menores e outras vantagens que farão toda a diferença para o seu negócio.

Planejamento Financeiro

Outro fator importante é o planejamento das suas receitas e despesas.

O planejamento é essencial para a continuidade do seu negócio.

No início da sua empresa é comum que o empreendedor acabe gastando tudo o que ganha, isso porque ele não pensa no futuro e, por ansiedade, acredita que tudo deve ser feito a uma prazo muito curto.

Planejar o futuro da empresa dará a segurança necessária para que ela tenha continuidade.

Todo negócio necessita de um planejamento objetivo para o crescimento.
O futuro do seu negócio depende de um planejamento claro e objetivo

Sem uma projeção futura da empresa não consegue mensurar objetivos e resultados possíveis e consequentemente não melhora.

Atente-se a importância de precificar corretamente o seu produto ou serviço.

Isso pode parecer simples, literalmente, mas não é.

O empreendedor geralmente pensa no custo literal do seu produto:

Ao vender um produto ou serviço, que pra ele tem custo de R$ 8,00, acredita que ao precificar esse mesmo produto ou serviço a R$10,00 terá lucros e ganhará dinheiro.

Mas na prática não é bem assim que acontece, a margem de custo de um produto ou serviço deve ser formulada com base em vários conceitos técnicos.

É preciso entender:

  • O quanto de imposto será pago sobre o negócio;
  • A importância do reinvestimento no negócio;
  • Se preocupar com a margem de lucro;
  • Considerar o pró-labore;
  • E não esquecer dos custos com transporte.

Se não considerar esses pontos o seu lucro será o que chamamos de “lucro falso” e trará com certeza problemas para a saúde financeira da sua empresa.

Conheça os custos do seu negócio

Mesmo depois de analisar tudo isso o empreendedor deve se preocupar que o seu preço seja condizente com o mercado.

A precificação é importante, mas ela só dará resultados efetivos se o produto tiver um preço competitivo para o mercado.

É preciso equalizar o preço que você precisa vender, cobrindo seus custos, com o preço praticado no mercado.

Para isso analise como seus concorrentes estão fazendo isso, como estão gerando a receita, e nunca pare de fazer pesquisa de mercado.

Para praticar um preço que trará a você lucro e competitividade é preciso sentir o mercado e ver se o seu consumidor está se engajando e o quanto ele está disposto a pagar pelo que você oferece.

Estabeleça metas

Dentre as ações essenciais na gestão financeira para pequenas empresas está a definição de metas de receita superiores aos gastos.

O que parece óbvio: é preciso ganhar mais do que gastar. 

Mas, será que você, como empreendedor, tem metas próprias?

A questão de metas acaba sendo menos complicada quando se é funcionário de uma grande empresa que tem as suas “metas estabelecidas” e você se encarrega apenas de alcançá-las. O pequeno empreendedor não tem essa “cultura”.

E isso deve mudar, pois é muito importante que o empreendedor imponha metas para a sua empresa. Sem elas ele não vai chegar muito longe .

Fluxo de caixa impecável

Não se esqueça do gerenciamento correto do seu fluxo de caixa, que é um dos assuntos, para alguns, mais complicado mas, é essencial para o sucesso. 

Essa expertise acaba sendo mais necessária para o micro e pequeno empreendedor, que por mais que não seja especialista no assunto, deve entender como funciona.

O pequeno empreendedor enfrenta o grande desafio de saber um pouco de cada assunto pertinente ao seu negócio e a sua gestão.

E como parte do processo de gestão atente-se também ao controle de receitas e despesas.

Em muitas operações existe um descasamento de tempo muito grande, que envolve o intervalo de tempo de entrada e saída de dinheiro.

Alguns empreendedores, que trabalham com produtos por exemplo, compram antes  para revender a outras lojas.

Nessa situação ele já comprou e pagou o produto e ao vender, muitas vezes demora até 90 dias para receber das lojas.

Entende como esse intervalo fica “grande demais”? 

O empreendedor deve se atentar para que não exista um descasamento muito grande no seu fluxo, pode parecer difícil e realmente é.

Levando em consideração que outros vendedores concedem o prazo para os clientes porque tem mais estrutura ou tempo de mercado.

O pequeno empreendedor deve tomar cuidado e tentar casar o seu fluxo de caixa. Na maioria das vezes isso ameniza os problemas.

Mantenha o estoque controlado

Outro problema comum que acomete as novas empresas está relacionado ao estoque.

Ao iniciar muitos acabam comprando mais que o necessário para produzir ou vender e não tem um estoque “enxuto”, quando a gestão do estoque é muito importante para o sucesso, principalmente no início do negócio.

Isso porque se o negócio está começando e você fizer compras em larga escala, mesmo que isso traga benefícios competitivos, pois pagará menos pelos produtos, sua empresa não tem um fluxo de caixa que permita que se gaste muito dinheiro, é tudo muito contado.

Não monte um estoque muito grande no início do seu negócio.

Tenha um excedente mínimo do que você produz, isso para quem trabalha com produtos.

Contas separadas

Nunca se esqueça de uma das regras principais de um negócio de sucesso: em hipótese alguma misture o dinheiro da sua empresa com as suas contas pessoais.

Misturar as contas pessoais com a da empresa é uma receita de fracasso.

Quando trabalhamos em uma empresa com um salário X, pré-determinado, nos preparamos para viver baseados nessa disponibilidade de valor.

Já no caso de uma empresa, quando o empreendedor percebe o lucro entrando e ele é muito superior ao que ele estava habituado a faturar como contratado, como um lucro de XXX, ele acaba achando que pode gastar tudo imediatamente, todo o seu “lucro”.

E ao crescer o seu custo no mesmo ritmo do crescimento do seu ganho em algum momento vai se perder, e misturar os ganhos da empresa com os pessoais colabora para que se perca mais rápido ainda.

Não cometa esse erro!

Tenha uma conta pessoa jurídica e uma pessoa física, programe um pró-labore e seja sensato ao fazer a retirada, considerando que você como empresário pode ficar no prejuízo quando a empresa não der lucros e não pode tirar o capital da sua empresa para atender a necessidades pessoais.

Essas são apenas algumas dicas que podem ajudar o empreendedor a ter mais sucesso na gestão financeira da sua pequena empresa. 

É importante que a busca por conhecimento seja constante e que não se sinta sozinho nessa empreitada.

Temos inúmeros conteúdos que podem colaborar com a sua empresa e te ajudar a ter sucesso no seu negócio.

Não cometa erros que já têm solução. 

Aprenda com quem faz na prática e com quem tem resultados constantes no negócio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Fale com a gente