Como fazer uma parceria de coprodução de produto digital

Como fazer uma parceria de coprodução? Para esclarecer a respeito dessa questão, serão demonstrados neste artigo exemplos comuns, envolvendo os principais aspectos relacionados a esse tema. Com certeza, as dicas a seguir vão auxiliar sobre a melhor maneira de realizar essa parceria. Além disso, mostraremos como obter melhores rendimentos nas plataformas digitais.

Como proceder em relação à porcentagem para o coprodutor?

Vamos imaginar um cenário típico no mercado de afiliados: uma pessoa tem um produto e nesse produto está incluso: o valor a ser pago para a plataforma, o valor pago ao afiliado e o valor que é pago para o coprodutor.
Vale lembrar que o produtor principal é considerado o responsável por esse produto e, por isso, toda a incidência tributária cairá sobre ele. Então, se você pensar em, por exemplo, pagar 30% ao seu coprodutor para não sair lesado em relação à venda do produto, deve refletir no quanto realmente irá sobrar para você. É preciso calcular corretamente, pois, se isso não for feito, resultará em prejuízo.
Para exemplificar, vamos supor que o valor do produto seja de R$100,00 e você pagou R$10,00 de comissão automática para a plataforma. Do valor restante, 40% irá para o afiliado (ou seja, R$36,00 para o afiliado). Então, é preciso pagar, por exemplo, 10% de imposto sobre a venda total. No exemplo citado, seria pago R$10,00 sobre os R$100,00. Se, nesse caso, você pretende pagar 30% de coprodução, quanto sobraria? Apenas 14%, após ser pago tudo.
É importante que você entenda que o processo normal de coprodução feita na plataforma vai custar mais caro, principalmente em vendas de produtos perpétuos, onde há um fluxo de venda mensal que normalmente é significativo.

Quais são as opções para melhorar os rendimentos nas plataformas?

Existem muitas opções, uma delas seria ter uma única empresa voltada apenas para a venda desse produto. Se o produto tem volume e vai vender a longo prazo, então compensa ter uma empresa apenas para esse produto. Nesse caso, tudo seria centralizado nela, porque não vai existir uma bitributação, não será preciso pagar um imposto desnecessariamente. Essa consiste na maneira mais simples de proceder.
Outro ponto é que todo o gasto que você tem (com a compra de tráfego, despesas para manter o produto, etc.) será deduzido na própria empresa e, por isso, não haverá uma mistura dessa empresa com outros produtos que talvez você possua em outra empresa. Essa é uma maneira de trabalhar no caso de você ter um produto com um alto volume de vendas mensal, onde exista um processo de coprodução.
A maioria das plataformas ainda não permite fazer um desmembramento da venda direto. Como então seria esse desmembramento? Se você tem, por exemplo, uma coprodução de 50%. A plataforma vende 100 dos seus produtos e divide essa venda em 50% para um e 50% para o outro. Mesmo existindo essa possibilidade (no Hotmart ainda não existe essa possibilidade), você tem outros custos e precisará fazer um acordo com o seu coprodutor sobre esse outros custos como, por exemplo, a compra de tráfego, ferramentas, etc.
O processo pode parecer um pouco complicado, mas isso faz parte da gestão de uma empresa digital. Para quem tem um negócio digital e deseja que ele seja realmente bem sucedido, não basta apenas vender, é importante ter uma gestão adequada para ele.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *