Empresas do Simples Nacional podem ter Investidor Anjo

Uma novidade para 2017 é que, a partir de janeiro, quem possui uma pequena empresa poderá receber ajuda de um Investidor Anjo. Ou seja, o empresário que tem sua empresa no Simples Nacional poderá contar com essa possibilidade, um fato que pode ser importante para quem deseja projetar o seu negócio em 2017.

Em que sentido essa novidade será interessante para o empresário?

Se você tem uma boa ideia, um bom projeto, mas não tem dinheiro suficiente para colocar em prática, poderá contar com pessoas que vão acreditar nisso e oferecerão condições de levantar o seu projeto. O investidor consiste em uma pessoa que vai colocar o dinheiro na sua empresa para que esse projeto siga adiante, para depois ter o retorno desse valor que foi investido.
As regras funcionarão da seguinte forma: para começar, o valor investido não entrará no seu capital social, ou seja, não vai ficar atrelado ao seu capital. Imagine, por exemplo, um capital de R$100.000,00 que, de repente, recebeu um aporte (uma contribuição) de R$500.000,00. Esse valor recebido não irá se agregar ao seu capital.
Na prática, esse investidor não tem participação na sociedade, mas vai existir um contrato de participação. Esse valor também não será considerado como receita.
Por isso, uma coisa importante que você precisa entender é que a contabilidade é essencial. Isso porque você terá que demonstrar para o fisco esse valor que entrou na empresa. Esse valor será demonstrado através da contabilidade, confirmando que o valor entrou através desse investimento.

Como fica o Investidor Anjo em relação a possíveis dívidas da empresa?

O Investidor Anjo não será responsável por responder a qualquer dívida. Ou seja, o que acontece e que eles poderão colocar determinados valores em diversas empresas, em diferentes modelos de negócios.
Porém, pode ser que nem todos esses negócios darão certo mas, os que dão certo rendem muitos resultados para eles. Afinal de contas, foi para isso que eles colocam dinheiro nas empresas, para receber a remuneração em relação ao negócio.
Mas, caso o negócio não dê certo, se a empresa se endividar, o investidor não vai responder por essa dívida, apenas vai perder o capital investido. O investidor será remunerado por seus aportes, por exemplo, se ele colocou o valor, o demonstrativo mostrará o resultado ao fechar o balanço patrimonial.
Esse resultado será a remuneração que ele poderá obter, mas que não pode ser superior aos 50% do valor do resultado total. Então, vamos imaginar que você teve um lucro de R$300.000,00. Nesse caso em questão, só poderá ficar com R$150.000,00 desse lucro.

Em quanto tempo o valor poderá ser resgatado?

O valor colocado pelo investidor só poderá ser resgatado após 2 anos de aporte. Essa é uma regra interessante, visto que é colocado um valor na empresa. É preciso então dar um tempo para esse dinheiro ser trabalhado, para que assim o negócio possa crescer.
O investidor passa então a ser um responsável indireto pelo crescimento desse negócio. Por isso, a figura do Investidor Anjo é bem interessante, porque os bons investidores não colocam apenas essa questão do valor, mas existe toda uma questão de expertise para ajudar esse negócio a crescer.
Existe uma espécie de conjunto de informações, orientações e preparo que esse investidor colabore na prosperidade da empresa e, consequentemente, resultando em retorno para ele.
Em relação ao valor que será resgatado sobre o investimento que foi feito, ele só pode ser o valor corrigido. Ou seja, se o investidor for receber R$500,000,00, no período de 7 anos (prazo máximo que vai durar esse investimento), ele pode ser resgatado com o valor corrigido.

 Investidor Anjo torna-se sócio da empresa?

O investidor teve toda a remuneração baseada nos lucros que foram gerados. Então, na prática, ele não será sócio do seu negócio, mas vai apenas colocar o dinheiro e esse valor ficará por, no máximo, 7 anos.
Quando você pensa em empresas que estão investindo dentro das startups, elas estão deslumbrando um período mais longo. Dependendo do negócio, em apenas 5 anos ainda não dará lucro. Somente numa startup, onde o objetivo é fazer com que o negócio se multiplique.
Por outro lado, em seu negócio, esses investidores terão um papel diferenciado. Eles precisam buscar o crescimento, que normalmente será um crescimento inferior ao do mercado, o que seria a projeção que teríamos em uma startup normal. Porém, o crescimento precisa dar um retorno para que ele possa fazer o resgate desse valor.

O que precisa ser levado em consideração

Primeiramente, se você quer buscar esses investidores, precisa ter um projeto que seja atraente para o mercado. Além disso, precisa encontrar quem são esses investidores que estão dispostos a trabalhar com essas pequenas empresas.
Você precisa também ter condições de demonstrar fatos financeiros da empresa em relação ao seu projeto. Fazer todo o processo de venda da sua ideia para os investidores.
Por esse motivo, se você não tem uma contabilidade, pode se complicar em relação a isso. É preciso manter a contabilidade regularizada para que possa fazer a demonstração desses resultados e apresentá-los para o mercado. Resumindo, você precisa ter uma empresa que seja especializada para atendê-lo a esse respeito.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *