Dois motivos que tornam os negócios suscetíveis a crises

Quais são os aspectos que certamente irão levar as empresas a ter problemas em momentos de crise? Neste artigo, serão apresentados dois pontos muito importantes sobre esse assunto.
Um deles é a respeito do custo fixo das empresas, que muitas vezes pode ser alto e incompatível com a sua capacidade. Outro ponto envolve as dívidas empresariais, que podem prejudicar seriamente os rumos do seu negócio.

 

O primeiro ponto a ser considerado são as empresas que têm um alto custo fixo. Apesar de parecer uma questão óbvia, o pequeno empresário muitas vezes encontra uma dificuldade muito grande em enxergar isso. Mas, em que consiste o custo fixo? É um custo que o empresário não consegue alterar rapidamente.
Por exemplo, você tem uma equipe CLT trabalhando em sua empresa, mas que não é propriamente necessária. Quando o negócio enfrenta um momento de crise, chegando ao ponto de precisar se desfazer dessa equipe, existe um custo muito mais alto para que isso seja feito. O motivo é porque será preciso fazer uma rescisão e, muitas vezes, o empresário não dispõe desse valor.
Não é raro encontrar empresários que mantêm pessoas em sua empresa sem ter necessidade, simplesmente porque terá que arcar com os altos custos para dispensar esses funcionários.
Nesse aspecto, a contratação de um prestador de serviço seria mais viável, por ser uma despesa variável. Num momento de crise, o empresário poderia diminuir esse custo variável de uma forma muito mais fácil e rápida em relação à dispensa desse profissional.
Por isso, é de grande importância ter o devido cuidado com os seus custos fixos. É muito comum o pequeno empresário ir aumentando seus custos fixos, acreditando que nunca terá problemas. Mas, lá na frente, ele poderá enfrentar obstáculos quando passar por um momento de crise.

Negócios altamente endividados

A segunda questão, que é muito importante, corresponde aos negócios altamente endividados. Muitos empresários fazem uma farra quando a fase está boa e não é preciso usar o crédito disponível para eles.
É preciso ter cuidado ao usar um crédito, principalmente quando ele é usado para o capital de giro, que é um capital muito caro. O motivo desse cuidado é que, em um momento de crise, a empresa começa a faturar menos e ter um menor volume de vendas, o que consequentemente torna muito mais difícil manter todo esse custo.
Isso leva ao seguinte questionamento: Será que você não consegue trabalhar com um menor nível de endividamento? É realmente necessário fazer todo esse investimento através de financiamentos em seu negócio? Não é possível para a empresa crescer um pouco mais devagar, mas crescer com dinheiro próprio? É muito mais lento para a empresa crescer com dinheiro próprio, mas é muito mais seguro, principalmente num momento em não há nenhum tipo de dívida em relação ao seu negócio.

Concluindo

E como aplicar essas dicas se a sua empresa já está passando por dificuldades? É importante que você olhe para o seu negócio hoje e olhe para o seu negócio no futuro. Ou seja, precisa trabalhar para o momento em que sua empresa sairá desse momento de crise, para o momento em você dará a volta por cima. Pois, com certeza, com muito trabalho e muita sabedoria, isso será possível.
Mas, para isso, você precisa preparar a sua empresa para o futuro. Então, trabalhe hoje, olhe para o futuro e comece a organizar a sua empresa para poder ter condições mais favoráveis de crescer.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *