Ano será de desafio para micro e pequenas empresas

Ano será de desafio para micro e pequenas empresas

Legislação avançou em 2014, mas ainda precisa de novas mudanças para melhorar o ambiente para o segmento, que enfrentará a retração no consumo

Micro e pequenos empresários têm mais a se preocupar em 2015 além do recuo no consumo. As atenções também devem se voltar para Brasília, uma vez que, embora 2014 tenha sido um ano de conquistas para a categoria, ainda há muito a se avançar na legislação para criar um ambiente mais favorável às MPEs.

Ao fazer um balanço de 2014, o presidente da Confederação Nacional das Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Comicro), José Tarcísio da Silva destaca a regulamentação da priorização das MPEs nas compras do poder público como um importante ponto a favor. Para preparar as empresas para esta nova realidade, a Comicro pretende realizar treinamentos e atuar junto aos governos para que não haja o já conhecido retardamento no pagamento, uma vez que as micro e pequenas empresas têm faturamento reduzido e não podem esperar muito tempo.

“Em 2015 temos muito trabalho a fazer”, ressalta José Tarcísio. Entre os desafios, ele chama a atenção para a necessidade de ampliação das faixas de enquadramento no Supersimples, como é conhecido o capítulo tributário da Lei Geral das Micro e Pequenas Empresas que simplifica e reduz a cobrança de impostos para as MPEs. “Queremos pelo menos dobrar o teto”, diz o gestor. Atualmente, o limite para ser enquadrado é faturar até R$ 360 mil anuais, no caso das microempresas, e de R$ 3,6 milhões para as de pequeno porte.

Fonte: Jornal do Comércio

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *