Empresários começam sem estudo prévio

Empresários começam sem estudo prévio, afirma estudo

A grande maioria dos pequenos empreendedores brasileiros admite que abriu sua empresa sem ter o conhecimento adequado sobre o que é ter um negócio próprio.

Essa é uma das principais conclusões da pesquisa realizada pelo ConectAí, comunidade on-line de pesquisa do Ibope Inteligência, a pedido da RSA Seguros.

Nada menos que 86% dos respondentes afirmam ter passado por essa situação. Como consequência, 82% dos entrevistados disseram ter aprendido a gerenciar suas companhias na prática. Para a realização da pesquisa foram ouvidas, em agosto de 2014, mil pessoas que têm um negócio (49% dos respondentes), pretendem ter (45%) ou tiveram um nos últimos dois anos (6%).

Entre os que já têm uma empresa em atividade, o improviso em alguns aspectos fica evidente: quase a metade (47%) afirma que calculou a viabilidade do negócio sozinho, enquanto 28% buscaram informações na internet ou em revistas, 22% recorreram aos conhecimentos de uma consultoria especializada e 19% pediram conselhos a amigos e parentes.

Os futuros empreendedores mostram, porém, uma maior preocupação com o planejamento. Quase 60% deles dizem que devem contar com uma consultoria para avaliar esse aspecto.

Quando o assunto são cursos de formação, como de negócios ou gestão, essa falta de planejamento fica evidente entre as empresas que naufragaram. Mais de 60% dos empreendedores que fecharam suas companhias não fizeram qualquer curso nessas áreas.

Já entre os que continuam na ativa, 50% buscaram esse tipo de informação, enquanto 68% dos que abrirão um negócio dizem que buscarão um curso na área.

Outro ponto importante quando o assunto é garantir a longevidade das empresas, o seguro corporativo ainda é pouco adotado pelos pequenos negócios.

Entre os entrevistados que já possuem uma empresa, 75% afirmam não ter qualquer cobertura, apesar de 69% dos respondentes acreditarem que seguro é algo "muito importante" ou "importante".

Questionados sobre os motivos que os levam a negligenciar essa proteção, 37% admitem nunca ter pensado na necessidade, 33% acham caro e 29% acreditam que a medida não é necessária, afirma a pesquisa do Ibope e da RSA.

Fonte: DCI

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *