Empresários apoiam demandas populares por reformas

Empresários apoiam demandas populares por reformas

Em carta à presidente Dilma, CACB adere a necessidade de uma reforma política

A Confederação das Associações Comerciais e Empresariais do Brasil (CACB), sensibilizada com os movimentos populares que pedem mudanças no País, se integra aos anseios do povo brasileiro e também engrossa o pedido de mudanças. Para tanto, a entidade, que representa mais de 2 milhões de empreendedores nos 27 Estados do País, produziu umA carta e entregou à presidenta Dilma Rousseff, apoiando a necessidade de uma reforma política. O presidente da CACB, José Paulo Dornelles Cairoli, disse que é importante dar nosso apoio às mudanças e nossa contribuição para que o for necessário para viabilizar a reforma política, “a mãe de todas as reformas, a que vai assegurar as mudanças”, enfatizou.

A entidade também enviou comunicados às Federações filiadas nos 26 Estados e no Distrito Federal, para que todos entrem em sintonia com a voz que vem das ruas e unir-se à luta para buscar os ajustes de rumo que conduzirão o País a uma harmonia, ainda que imperfeita, mas respeitosa sobre a relação entre poderes e indivíduos.

O presidente Cairoli enfatizou que a entidade acredita que, na medida em que os governos foram se divorciando dos brasileiros, também os empreendedores, não menos brasileiros, abriam seus protestos pedindo menos carga tributária, menos burocracia, menos juros, melhores cenários para se desenvolver.

A CACB, diz a carta, “acredita que as demandas, aparentemente difusas, expressas pela população durante as manifestações que clamam pelo encaminhamento de pleitos dos mais diversos segmentos sociais, configuram, na verdade, um pedido de condução de solução clara e em sintonia com as necessidades expressas”.

– CACB – A Confederação das Associações Comerciais e Empresariais do Brasil (CACB) é formada por 26 federações, representantes de cada um dos estados mais o Distrito Federal, agregando 2,3 mil associações comerciais. Representa mais de dois milhões de empresários em todo o País, de todos os setores da economia, que se reúnem por adesão voluntária. É uma organização multissetorial, representa e expressa a opinião independente de empresários do comércio, indústria, agropecuária, serviços, finanças e profissionais liberais, de micro, pequenas, médias e grandes empresas. Entre seus associados, 89% são micro e pequenas empresas, e por isso a entidade se volta para esses agentes da economia, responsáveis pela maior parte dos empregos gerados no país.

Fonte: Incorporativa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *