Em busca de negócios

Em busca de negócios

Representantes da Prefeitura de São Paulo e da Brain (associação de empresas e entidades, como a BM&FBOVESPA) reúnem-se hoje na sede do Banco Mundial, com o coordenador do ranking Doing Business, Jean Lobet.

O objetivo é discutir critérios da pesquisa. Atualmente, o país é o 130º, entre 185 economias avaliadas.

"O Brasil piorou quatro posições na última medição, mas não está tão mal", diz Paulo Oliveira, diretor-presidente da entidade, que participará da reunião com Marcos Cruz, o secretário municipal de Finanças.

"O país avançou em áreas não detectadas pela pesquisa, como proteção a investidores, acesso ao crédito e à eletricidade", acrescenta.

Um dos itens em que o país é mal avaliado é na abertura de empresas, afirma Oliveira.

"Leva cerca de quatro meses para fazer o registro de uma empresa e o principal gargalo, responsável por atraso de aproximadamente 90 dias, está na prefeitura, que vai promover mudanças."

O ranking não favorece indicadores em que o Brasil vai bem. "Um exemplo é o crédito: temos a alienação fiduciária, mas valorizam o aval."

Mercado Aberto

Maria Cristina Frias 

Fonte: Folha de S.Paulo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *