Rejeitadas por boa parte dos profissionais autônomos, as técnicas de administração ainda são essenciais para o sucesso de quem quer se dar bem como pequeno empreendedor.

Rejeitadas por boa parte dos profissionais autônomos, as técnicas de administração ainda são essenciais para o sucesso de quem quer se dar bem como pequeno empreendedor.

Especialista dá dicas de administração para profissionais autônomos.

O tema empreendedorismo vem recebendo cada vez mais atenção, com lançamentos, cursos e publicações para aqueles que querem ser empreendedores. Para Fábio Zugman, autor de obras como “Empreendedores Esquecidos” e “Administração para Profissionais Liberais”,  a visão sobre o tema ainda é limitada. Para ele, um médico,  um pequeno escritório de arquitetura e um contador que trabalha por conta própria são todos exemplos de empreendedores.

“O que ocorre” – conta Zugman – “é que o foco nesse tipo de formação é o conhecimento técnico. Um profissional deve ser bom o suficiente para poder exercer sua profissão. Até aí tudo bem. O problema é que em boa parte dos casos isso também envolve administrar a própria prática profissional.” Para o autor, a maioria dos profissionais ainda vê a administração de um modo errado. Muitos acham que basta aprender na prática, ou observando outros profissionais. Isso pode ser importante, mas não conta toda a história.

“Um profissional que aprende a administrar, pensa em sua prática profissional como um todo. Dos cursos que faz, ao modo como recebe e trata seus clientes, à forma como cobra e acompanha os resultados, um processo bem pensado faz toda a diferença, e melhora os resultados tanto do profissional quanto da pessoa atendida por ele.” completa Fábio Zugman.

O que fazer então para começar? Confira algumas dicas que o autor dá em seus livros:

Desenvolva uma direção para sua prática: você pode querer se tornar especialista, ou atender um público específico. A partir do momento que você escolheu um caminho, pode tomar decisões que te deixem mais perto dele e evitar escolhas que te afastem de seu objetivo.

Pense na experiência de quem é atendido por você: Muitos profissionais acham que basta ser bom no que fazem. Não é verdade. A maioria dos clientes usa outros fatores além do conhecimento técnico para decidir se foi bem atendido ou não. Do modo como é recebido à sensação de ser parte do processo, ao modo como o profissional demonstra preocupação com o caso específico ou trata seu cliente como “mais um”, tudo pesa na hora de alguém decidir se gostou ou não de ser atendido por você;

Mudanças são graduais e levam tempo: Apesar de volta e meia vermos serem contados exemplos de grandes reviravoltas e mudanças, a verdade é que a maioria das mudanças na vida real ocorre de forma lenta e gradual. Assim, você deve realizar mudanças em sua prática profissional dando um passo de cada vez. Isso te permite aprender, observar as reações das pessoas e até voltar atrás caso algo não dê certo. Mudanças acumuladas ao longo dos anos irão se acumular, e com o tempo você chegará longe.

Cuidado com dicas e a tentação de copiar o sucesso dos outros: Não é só porque algo deu certo em algum lugar que você deve fazer. Isso vale para investimentos, caminhos a seguir na carreira e o modo como você monta o seu negócio. Se você possui uma direção clara, pode seguir seu curso sem precisar mudar de direção a cada momento.

Fonte: Fábio Zugman

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *