Defesa aguarda para as próximas horas a liberação de empresário de Caxias do Sul

 

Defesa aguarda para as próximas horas a liberação de empresário de Caxias do Sul

Diretor-proprietário da empresa Água Mineral Boca da Serra, Neri Renato Isoppo, prestou depoimento à PF nesta quarta-feira

Uma reunião do Conselho de Investigação da Polícia Federal, em Porto Alegre, prevista para a manhã desta quinta-feira pode resultar na liberação do empresário de Caxias do Sul Nei Renato Isoppo, 48 anos, preso na segunda-feira durante a Operação Concutare. O diretor-proprietário da empresa Água Mineral Boca da Serra, localizada no distrito de Vila Seca, prestou depoimento à PF nesta quarta-feira à tarde. A expectativa é da defesa de Isoppo é de que ele pudesse ser solto ainda na noite desta quarta-feira, o que não se confirmou pelo fato de outros dois depoimentos terem se estendido até as 21h. 

 

Um dos advogados do caxiense, Angelo Rafael Neves Xavier, contou que Isoppo respondeu a todos os questionamentos durante o depoimento e garantiu que não há suspeição quanto à legalidade da empresa. Conforme Xavier, a suspeita relacionando Isoppo com as fraudes ambientais deve-se a uma possível ligação com um funcionário público.

 

A investigação envolve a pessoa física e não a empresa — declarou Xavier.

 

Na terça-feira, uma nota assinada pelo advogado Fernando Barretti, que também atende ao empresário caxiense, afirmava que "a acusação está fundada em suspeita, isoladamente, na pessoa do sócio da empresa numa suposta troca de influências".

 

Nesta quarta-feira, familiares do empresário se dirigiram a Porto Alegre e passaram o dia acompanhando o desenrolar da situação. Levaram roupas novas e produtos de higiene pessoal para Isoppo, mas não puderam conversar com ele, segundo informação do advogado Angelo Xavier.

 

O grupo investigado pela PF é integrado por servidores públicos, consultores ambientais e empresários. Eles são acusados de atuar junto a órgãos de controle ambiental estaduais e municipais para obter ou conceder, ilegalmente, licenças e autorizações.

 

A licença de operação expedida pela Fepam autorizando Fonte Mineral Boca da Serra a engarrafar água data de 13 de janeiro de 2006 e é valida até 13 de janeiro de 2010. No sistema da Fepam, a licença consta como vencida. Na época da licença da Fepam, o diretor presidente do órgão era Cláudio Dilda. O documento é validado através de assinatura digital, um processo eletrônico baseado em sistema criptográfico. Dez dias antes da licença, Dilda assinou uma portaria autorizando o uso do sistema eletrônico nos documentos da Fepam, devido ao grande volume de processos, principalmente os licenciatórios.

 

Dilda permaneceu na fundação até março de 2006, quando passou a chefiar a pasta estadual do Meio Ambiente, no governo Germano Rigotto (PMDB). Na terça-feira, Dilda afirmou ao Pioneiro conhecer a água mineral Boca da Serra do tempo que viveu em Caxias (foi assessor do Samae entre 2007 e 2012), mas que não conhece o proprietário da empresa, Nei Renato Isoppo.

Fonte: Pioneiro

 

Agora você conta com uma nova unidade da Rede Tactus de Contabilidade em Caxias do Sul, consulte-nos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *