Para que serve a sua contabilidade?

Elenito Elias da Costa

O cenário econômico globalizado se apresenta com muita propriedade em face dos conflitos árabes, crise financeira, crise do euro, inflação, juros, volatilidade das bolsas, apagões de energia elétrica, saúde, educação, ciência e tecnologia, reforma tributária, política, administrativa, trabalhistas, e demais eventos.
Em alguns países o erário precisa de mais recursos para conter os investimentos projetados, pois, é notório o hiato financeiro existente para fechamento dos investimentos, até mesmo para atender ao custeio.

É inegável que esse cenário de incertezas precisa de uma melhor formação, exigindo das empresas uma posição mais profissional e transparente, caso deseje se manter, ainda, no mercado.
Os serviços contábeis em sua abrangência deve também obedecer a uma necessidade de se adaptar aos princípios internacionais e atender a máquina fiscalizadora, além de priorizar um maior controle interno que resulta em maior transparência.

No Brasil, principalmente no Nordeste onde a maioria das empresas pertence ao Sistema do Simples Nacional, citadas empresas devem se organizar e proceder a um estudo mais detalhado de suas posições, pois fatalmente irão pagar a conta, pois qualquer tributação crescente que incida sobre faturamento bruto se torna no ínterim do mesmo ano civil, insuportável.

A flexibilidade da opção tributária deve ter um preço que seja aprazível no inicio, mas oneroso ao final do mesmo ano civil, permitindo o feeling somente depois de fisgada.

Se sua contabilidade limita-se a:

a) Alimentar o sistema do Setor Fiscal gerando suas obrigações;

b) Alimentar o sistema do Setor de Pessoal gerando suas obrigações;

c) Alimentar uma tentativa de Demonstrativo Contábil e Financeiro, gerando suas obrigações;
Você tem razão, pois fica difícil entender como alguém consegue garfar gestores de empresas (néscios) com tão pouco.

Quem lhe garante que os livros e obrigações tributárias, trabalhistas, sociais e ambientais estão sendo atendidas?

Como está a Contabilidade e demais serviços contratados pela minha empresa?

Aconselho a não fazer essa indagação.

A contabilidade atua em sincronia racional com a globalização, exercida por profissional capacitado e qualificado, se tornando parceiro do se ciente e se inserindo em sua gestão, buscando oferecer, alem dos serviços contratados, os demais relacionados:


a) Diagnóstico Empresarial;
b) PES – Planejamento Estratégico Sustentável;
c) Relatório de Viabilidade Econômica;
d) Assessoria no Controle de Custos e Despesas;
e) Assessoria da Customização
f) Assessoria na Precificação;
g) Controle de Estoques e Política de Compras;
h) Planejamento Estratégico Sustentável
i) Projeto de Viabilidade de Obtenção de Recursos Financeiros;
j) Controle do Patrimônio Fixo.
k) Relatório de Riscos Tributários e Trabalhistas
l) Demonstrações Contábeis e Financeiras, ajustadas em conformidade aos princípios internacionais, CPC, CFC e demais;
m) Relatório de Sugestões;
n) Reuniões cronologicamente marcadas.
o) Estudo de impactos Tributários
p) Relatório de Responsabilidade Social
q) Relatório de Responsabilidade Ambiental.
r) E demais.


Como podemos observar o verdadeiro trabalho de Contabilidade deve agregar valor a empresa cliente em sua gestão empresarial, minorando recursos e estudando a possibilidade de implementação de melhorias que possam dar maior sustentabilidade e continuidade a atividade econômica desenvolvida pela mesma.

O grande problema é que a maioria dos profissionais não possuem uma educação de qualidade continuada que possa lhe conceder uma capacitação e qualificação necessária a uma economia globalizada.

É bem verdade que há diversas outras variáveis que impactam a desejável satisfação nas relações, sejam intrínsecas ou extrínsecas, mas de qualquer forma isso deverá influenciar diretamente nas relações contratuais.

Outra verdade que devemos reconhecer é o NÍVEL de educação profissional que se reveste o nosso atual profissional, é pífio, haja vista a má qualidade da sua formação, pois temos profissional que não sabe se expressar mesmo em português, não sabe escrever, por ter pouco tempo para a leitura em conseqüência desse fato, é um desastre até mesmo quando tenta explicar ao cliente o reflexo e resultado de seu próprio labor.

Tem reduzido conhecimento em TI, tem dificuldade na tem base doutrinária para um entendimento de fatos (positivos e negativos) de uma legislação, desconhece a importância de saber outro idioma, cria um mundo isolado entre o escritório e o cliente e reclama infinitivamente de tudo e de todos.

O mercado globalizado precisa de profissional globalizado, caso contrário o profissional que não esteja antenado (plugado), deverá mudar de profissão.

Em contato com profissionais e empresas, motivado pela minha atividade contábil diária, e noturna no magistério superior, ouço reclames de modalidade díspares, mas poucos demonstram e reconhecem a sua limitação o que comprova o grande hiato existente.

O mais gritante é a contratação de profissionais sem um processo racional sincrônico, ou seja, de avaliações técnicas seja através e artigos escritos, livros editados, projetos que participa, ou qualquer outro tipo de avaliação, que diferencie a apadrinhamento, a informação de amigos, o aconselhamento de conhecidos parentes etc.

Enquanto houver a indução de argumentos de marketing no processo de contratação, em detrimento a racionalidade objetiva teremos, esse tipo de profissional, ainda no mercado.
A contabilidade deve está sempre antenada para a gestão empresarial de modalidade incansável, diuturno, full time.

É inadmissível, a existência de profissionais sem que o mesmo externe sua opinião através de artigos técnicos, se tiver alguma opinião, claro, pois se inapto o seu silêncio ratifica o seu nível.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *