Congestionamento em site da Receita atrapalha entrega de declarações

Contabilistas reclamam da falta de suporte do sistema eletrônico do fisco; tecnologia não tem mesma agilidade que a dos métodos de fiscalização

 
 
Quem já não viu aquelas filas enormes nas marginais de São Paulo em dia de chuva? Os carros ficam parados por um tempo enorme e quando andam, seguem a meio quilômetro por hora. O excesso de veículos, aliado ao rush do início de noite a e falta de vias adequadas para que o fluxo do tráfego causam náuseas ao mais tranquilo motorista.

Pois bem, isto também está acontecendo em outra via – a virtual, a internet. E quem anda sofrendo com isso e sofrendo muito, são os profissionais da contabilidade. Hoje a maioria das ações de contabilidade são feitas usando a internet. A todo o momento os contadores são obrigados a transmitir informações, declarações, pedir certidões por meio dos sites das Receitas Federal, Estadual e Municipal.

Mas a tecnologia que poderia facilitar a vida dos empresários da contabilidade tem efeito contrário. ”Passamos a manhã inteira de quarta-feira (24) tentando entregar, via on line, a Declaração Anual do Simples Nacional (DASN), e nada funcionava no site da Receita”, diz o presidente do Sescap-Ldr, Marcelo Odetto Esquiante. Segundo ele a Federação Nacional dos Contadores foi acionada e diretores da entidade foram à Receita em Brasília cobrar providências. ”Temos prazos muito apertados para entregarmos as declarações. De que adianta sensibilizarmos os contadores a anteciparem a entrega se o site da Receita não consegue receber o tráfego de informações”, reclama Esquiante. Por conta disso, até ontem, perto de 2 milhões de DASN ainda não haviam sido entregues. O prazo final é dia 31 de março.

O diretor da Fenacon, Paulo Bento, disse que a explicação ouvida na Receita Federal é que uma descarga elétrica provocada por um raio provocou a pane que travou os sistemas do órgão. ”Até entendemos que isso possa ter ocorrido, mas o congestionamento no site da Receita é uma constante. Nós queremos uma solução definitiva”, reclama.

O presidente do Sescap-Ldr faz uma crítica a lentidão do fisco em resolver problemas que não precisariam existir. Segundo ele, a Receita cria constantemente dezenas de novas declarações – para aperfeiçoar o sistema de fiscalização junto às empresas, porém, são tantas que as informações acabam sendo repetitivas, provocando um retrabalho para os contadores de todo o país. Ele cita como exemplo o Demonstrativo de Apuração de Contribuições Sociais (Dacon) e a Declaração de Débitos e Créditos Tributários Federais (DCTF); Relação Anual de Informações Sociais (RAIS) e a Guia de Recolhimento do FGTS e de Informações à Previdência Social (GFIP). ”Há mais de uma década o Imposto de Renda Pessoa Física pode ser enviado pela internet e todo ano ocorrem congestionamentos. Para resolver o problema, a Receita deveria reduzir as declarações que se repetem e, obviamente, melhorar o seu sistema de recebimento de informações”, sugere Esquiante.

Fonte: Sindicato das Empresas de Assessoramento, Perícias, Informações, Pesquisas e Serviços Contábeis de Londrina (Sescap-Ldr)

 
Folha de Londrina

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *