Implantação NF Eletrônica

Pets: fabricantes de alimentos têm dois meses

para implantar nota fiscal eletrônica

Segmento paga 49,9% do faturamento em impostos e terá de investir

em infraestrutura tecnológica para se adequar à nova lei

Fabricantes de alimentos para animais de companhia têm até 1º de setembro para implantar o sistema de nota fiscal eletrônica (NF-e), de acordo com o protocolo ICMS 87/07. O mercado pet brasileiro é o segundo maior do mundo em população: 32 milhões de cães, 16 milhões de gatos, 19,5 milhões de pássaros e 7,5 milhões de peixes. Dados da Anfal Pet (Associação Nacional dos Fabricantes de Alimentos para Pequenos Animais) revelam faturamento de R$5,8 bilhões em 2008, sendo 49,9% desse valor destinados ao pagamento de impostos.

A taxação excessiva, segundo a Anfal Pet, não só limita o crescimento do segmento, como contribui para a sonegação, permitindo que o valor sonegado resulte em descontos para o consumidor. O combate à sonegação de impostos é uma das principais motivações da implantação da nota fiscal eletrônica.

“Esse segmento da indústria é realmente muito apenado com impostos, o que dificulta o crescimento econômico. Mas o governo deu um importante passo com a  criação  da NF-e. Além de descartar qualquer transação com empresas que estejam com pendências jurídicas, aumentando a segurança das relações comerciais entre as partes, o sistema elimina contratempos burocráticos e reduz custos operacionais. O retorno do investimento realizado na implantação da nota fiscal eletrônica tem se mostrado bastante rápido”, diz Wagner Oliveira, diretor da Versifico Web Solutions.

Oliveira dá mais detalhes sobre o processo: “O fabricante que emite a NF-e gera um arquivo eletrônico contendo as informações fiscais da operação comercial. Esse arquivo, assinado digitalmente, é transmitido via internet para a Secretaria da Fazenda. Sem a validação e a autorização de uso nenhuma mercadoria pode circular. A partir do momento em que a NF-e é autorizada, os dados são disponibilizados para consulta das partes interessadas no site www.nfe.fazenda.gov.br”.

De acordo com o executivo, a agilidade das operações é um ganho relevante. “Enquanto a nota fiscal tradicionalmente feita em várias vias de papel às vezes continha erros que prejudicavam toda transação, a NF-e costuma ser processada em até três segundos pelas Secretarias de Fazenda Estaduais, podendo conter até 999 itens de produto”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *